O Caçador e a Rainha do Gelo

o cacador e arainha do gelo

Título Original- The Huntsman: Winter’s War
Título Nacional- O Caçador e a Rainha do Gelo
Diretor– Cedric Nicolas-Troyan
Roteiro- Evan Spiliotopoulos/Craig Mazin
Gênero– Aventura/Ação/Fantasia/Drama
Ano– 2016

– Congelando as expectativas…

O primeiro filme dessa sequência tinha uma boa premissa, mas execução ruim e a presença de Kristen Stewart. Nesse, removeram o que pensaram ser o único problema, mas, não foi suficiente, ainda que seja melhor que o antecessor, O Caçador e a Rainha do Gelo termina não se justificando, mesmo sendo divertido em alguns momentos e contanto com um elenco feminino espetacular (da geração ali representada talvez faça falta apenas Amy Adams para fechar o círculo real de nomes importantes do ramo entre as mulheres). Será que consegue fazer jus ao que se espera? Tentaremos elucidar a seguir.

A Rainha Ravenna (Charlize Theron) foi derrotada pelos esforços da Branca de Neve (Kristen Stewart) e do Caçador Eric (Chris Hemsworth) no longa anterior. Tudo estava em paz no reino, mas uma ameaça começava a surgir, um vento frio soprava das terras do Norte, dominadas pela Rainha do Gelo e seu exército de Caçadores, responsáveis pela queda de inúmeros reinos e nunca derrotados. A líder dessa nação em expansão era nada mais, nada menos do que a irmã de Ravenna, Freya (Emily Blunt). Para entender as razões que levaram ao momento presente daquela realidade o filme regressa ao passado e conta um pouco como era antes de Ravenna consolidar-se como única Majestade do Reino. Nessa época sua irmã Freya ainda estava ao seu lado.

Ao contrário da envolvente irmã, Freya era uma jovem simples, ingênua e amorosa. Ela tinha envolvido-se com um membro da realeza já compromissado e esperava um filho do mesmo. Quando uma tragédia acontece, o poder latente existente desperta e com isso uma crueza tão gélida quanto a magia recém descoberta. Ela parte para longe do lugar que trazia más lembranças e começa um reino próprio, aproveitando-se dessa magia ela expande seu território e toma as crianças dos povos conquistados a fim de formar um exército altamente letal, assim nascem os Caçadores, nessa primeira leva estavam os jovens Eric e Sara (Jessica Chastain). Desde o começo os dois sentem uma ligação, sentimento proibido pela fria Rainha.

Algum tempo depois uma tragédia também irá acometer ao casal de soldados. Eric conseguirá sobreviver e mais tarde irá encontrar-se com a Branca de Neve, o resto dessa história já foi contada no primeiro filme, porém, depois disso (sim, acharam genial fazer uma espécie de “origens” e “continuação” no mesmo filme), quando tudo parecia seguir em frente a ameaça do espelho de Ravenna reaparece e uma missão para encontrá-lo e ao mesmo tempo dar um fim surge no caminho do Caçador Eric. Ele irá juntar-se com um dos anões do filme anterior e uma nova aventura se iniciará. Com algumas reviravoltas, surpresas e situações previsíveis e mal compostas que terminam atrapalhando um bom resultado final para a obra.

O Caçador e a Rainha do Gelo termina não se justificando. Cometeram o pecado mortal de desperdiçarem a chance de usarem um elenco de atrizes de primeira grandeza da atualidade, tal mácula se torna ainda mais imperdoável quando vemos que se trata de um filme de ação que poderia render uma mudança de paradigma para atuação feminina nesses trabalhos, tudo jogado fora com um filme perdido em diversas passagens, ilógico e bobo. Ainda assim consegue divertir, tem bons efeitos especiais, as atuações são bacanas (afinal temos 3 das top atrizes da geração). Portanto não se trata de algo desprezível como estão pintando em alguns meios especializados. A frustração termina carregando demais na imparcialidade do público. É bem superior a seu antecessor.

Intensidade da força:6,0

2 opiniões sobre “O Caçador e a Rainha do Gelo”

  1. Não tenho tanto ‘gosto ruim’ com a presença da Kristen Stewart em filmes não. Esse segundo filme, confesso, me deu uma preguiça do tamanho do universo de assistir.

    1. Sei que você gosta da Kristen, Márcio, mas ela estraga qualquer filme que esteja presente. O filme em si justifica um pouco sua falta de vontade em assistir, embora seja um pipoca assistível.

      Abraços!

Deixe seu comentário