Voando Alto

voando alto

Título Original– Eddie the Eagle
Título Nacional– Voando Alto
Diretor– Dexter Fletcher
Roteiro– Sean Macaulay/Simon Kelton
Gênero– Biografia/Comédia
Ano– 2016

– Voos impossíveis…

É o que Eddie Edwards (Taron Egerton) resolve perseguir como objetivo principal em sua vida. Um jovem condenado a não poder andar pelos médicos quando criança, luta para ser um atleta e consegue o feito de representar a Inglaterra nas Olimpíadas de Inverno de 1988 no Canadá. O filme também esforça-se para guiar o difícil voo de retratar a vida do esquiador inglês na tela. Lance-se nesse salto com a ajuda das impressões do Power Cinema.

Nascido numa família simples, Eddie tinha tudo para ser mais um a seguir uma vida simplória, assim como seu pai, Terry (Keith Allen), gesseiro, e sua mãe, Janette (Jo Hartley), dona de casa, mas ele não se limita por conta de suas restrições físicas. Desde os primeiros anos ele trava uma verdadeira guerra contra o corpo frágil a fim de superar esses bloqueios. A meta de sua vida: Estar numa Olímpiada. Naquele tempo ainda não tinha acontecido a divisão dos jogos e ambas ocorriam nos mesmos anos. O jovem escolhe ser esquiador e participar da equipe inglesa que iria para os jogos de 88, porém a cúpula do esporte barra seu ingresso por não ser de origem nobre.

Frustrado ele quase desiste, para satisfação do pai, que nunca aprovou o sonho do filho, muito embora não tivesse impedido-o de tentar. Quando parecia não haver solução eis que surge o “Ski Jump”. Aproveitando-se da completa falta de participantes ingleses no esporte, ele vislumbra a possibilidade de conseguir participar, pois, conseguindo a meta mínima, não haveria como rejeitá-lo por não ser nobre, já que seria a única opção e os chefes do esporte seriam obrigados a enviá-lo. Só que o salto com esqui não era fácil e, a não ser que sua preparação tivesse começado ainda criança, a possibilidade de obter êxito nesse esporte era nula, ou assim pensava-se.

Eddie vai tentar provar o contrário e para isso também contará com a ajuda de um talentoso, mas fracassado ex-atleta, o americano Bronson Peary (Hugh Jackman), uma lenda em sua época. A história estrutura-se em cima desse desafio e todos os percalços enfrentados pelo jovem para obter sucesso em seu intuito. As atuações são razoáveis, o ainda novato Taron Egerton está à frente do elenco e consegue adicionar leveza ao papel, mas fica a impressão de estar um pouco carregado, um tanto forçado, não em comparação com a figura real em que se inspira, mas na própria atuação. Já Hugh Jackman está aceitável. Os demais do elenco não tem maior destaque e não comprometem.

O filme é bem simples, assim como a pessoa em que a história se funda. A mensagem de superação através do esporte é bonita e talvez tenha o seu simbolismo máximo nessa obra pelo fato do esportista em destaque não ter sido o melhor de todos os tempos ou algo do tipo, mas simplesmente alguém com uma enorme vontade de superar suas próprias barreiras. Nesses momentos, Voando Alto é um filme interessante, mas fora disso não traz nada de muito inspirador. Termina ficando na média, assim como a trama em que se apoia.

Intensidade da força: 6,0

Deixe seu comentário