O Regresso

o regresso

Título Original– The Revenant
Título Nacional- O Regresso
Diretor– Alejandro González Iñárritu
Roteiro- Mark L. Smith/Alejandro González Iñárritu
Gênero– Drama/Aventura
Ano– 2015

– Sobrevivência testada…

… Até os limites de Leonardo DiCaprio (Glass) e todo o elenco envolvido no grande nome para o Oscar 2016, O Regresso, o filme do polêmico, mas talentoso e ousado diretor mexicano Alejandro González Iñárritu chega mais uma vez a maior premiação do cinema com um trabalho conduzido por suas hábeis mãos. Aqui, ele irá conduzir uma história de vingança, regada com momentos espetaculares tecnicamente falando e com atuações de tirar o fôlego que podem render títulos aos envolvidos. Nesse ponto, DiCaprio tem mais cartaz porque já busca essa consagração há algum tempo sempre batendo na trave, mas parece que, dessa vez, nada conseguirá afastá-lo dessa conquista já tão merecida por outros trabalhos bem realizados.

Quando o grupo de caçadores composto por Glass, seu filho metade aborígene Hawk (Forrest Goodluck), John Fitzgerald (Tom Hardy), Captain Andrew Henry (Domhnall Gleeson), Bridger (Will Poulter), entre outros, é encurralado por uma tribo indígena da área todos tem que correr por suas vidas e deixar o tão árduo trabalho de meses para trás. Muitos sucumbem no confronto, em sua maioria os caçadores que estão em menor número e sem o preparo para um ataque tão rápido e incisivo como o realizado. Todos fogem para o barco e assim livram-se daquele risco imediato, porém, a solução não era definitiva e eles precisam continuar por terra. É a partir daí que os problemas começam.

Contrário a essa escolha, John, que já nutria uma rusga contra Glass, fica ainda mais inconformado e segue com a maioria, entretanto, visivelmente contrariado, ele passa a incitar a discórdia no grupo, pondo dúvidas e culpa naquele drama que todos viviam na conta de Glass. Enquanto fazia uma ronda ele irá se deparar com uma ursa que o ataca imediatamente por ver um risco aos filhotes que estavam próximos. A luta é feroz, já comprovando o capricho da parte visual que irá imperar durante toda a película. A vitória fica com o homem, mas por um fio e ele passa a ser um fardo para os demais componentes da campanha. Vendo a tensão subir ininterruptamente o Capitão resolve deixar o ferido para trás, não sem antes oferecer uma recompensa a quem ficasse e fizesse o possível para salvá-lo. John é um dos que se candidata, para surpresa e desconfiança de alguns, o restante então parte deixando para trás Glass, Hawk, John e Bridger.

Estava claro que aquele arranjo tinha tudo para dar errado e é o que acontece. Depois de ser deixado a própria sorte e perder o filho, Glass irá retornar dos mortos para ir em busca do responsável por toda aquela catástrofe. A partir de então iniciará uma jornada de sobrevivência brutal que porá a teste toda e qualquer lógica da vida. Durante essa caça muita beleza e crueza estarão presentes, tudo muito bem introduzido e trabalhado pela direção. O filme é tecnicamente impecável, uma verdadeira obra de arte. Direção, edição, montagem, fotografia entre outros aspectos são tão destacados que até uma pessoa mais leiga irá perceber e se encantará com tamanha qualidade. Se era difícil pensar que haveria concorrente para Mad Max em aspectos técnicos, The Revenant vem para intensificar a disputa.

The Revenant não consegue manter toda a vivacidade e intensidade no que tange ao roteiro, algumas partes ficam um tanto carregadas além da medida, como os repetidos desafios impostos ao vingador, como em algumas passagens em que está sendo caçado pelos índios. As personagens são muito pouco desenvolvidas e fica a impressão em certos momentos de ser apenas um filme de paisagem. Há como pano de fundo a crise da expansão americana e como ela dizimou a vasta população nativa. Os momentos introspectivos do protagonista também cansam um pouco, mas estes detalhes não são suficientes para colocar em cheque o brilhantismo de The Revenant. Um filme muito melhor do que Birdman e que com quase certeza dará a Leonardo DiCaprio sua tão aguardada estatueta porque ele entrega sua mais impressionante atuação até então.

Intensidade da força: 9,5

2 opiniões sobre “O Regresso”

    1. É justamente por não ser perfeito e faltar aquele tantinho que não leva 10. Tem algumas coisinhas que podiam ter sido suprimidas.

Deixe seu comentário