O Bom Dinossauro

o bom dinossauro

Título Original- The Good Dinosaur
Título Nacional- O Bom Dinossauro
Diretor- Peter Sohn
Roteiro- Bob Peterson/Peter Sohn
Gênero- Animação/Aventura/Comédia
Ano- 2015

– Simples e encantador…

A Pixar sofreu para conseguir lançar a nova animação recém estreada em cinemas nacionais, O Bom Dinossauro, talvez um dos motivos da dificuldade tenha sido a indecisão em que tipo de foco seguir. Notabilizada por produções recentes permeadas de mensagens implícitas, muitas delas apenas visíveis aos adultos, o excelente estúdio trouxe para si uma responsabilidade que às vezes é difícil de carregar. Em seu novo filme esse diferencial parece mais um ônus a atestar e isso termina interferindo na percepção e julgamento do público.

Os Dinossauros sobreviveram ao meteoro que deveria ter aniquilado a espécie em tempos imemoriais. Nessa nova Terra eles conseguem plantar e desenvolvem um senso de família apurado e os homens estão começando a aparecer ainda, esse convívio será representado pelo inseguro e assustado dino Arlo. Sempre incentivado pelos pais a superar seus bloqueios ele não consegue ter a força do irmão Buck ou a esperteza da irmã Libby, ao contrário deles, Arlo parecia não se encaixar naquela rotina de dinossauro. Seus pais, muito compreensivos, tentavam impulsionar o filho mais frágil a todo instante. Numa dessas aulas de vida um acidente acontece e ele será separado da família, tendo que pôr a prova tudo que sempre foi incentivado a fazer, mas nunca conseguiu junto aos seus familiares.

Ele irá contar com a companhia inesperada de um pequeno humano batizado como Spot. Os dois irão desenvolver uma amizade inesperada e compartilharão momentos inesquecíveis que servirão como lições para o resto de suas vidas. E é essa mensagem simples, direta, essencial e belíssima que todo o filme se esforça para nos apresentar e o faz em momentos de puro encantamento e inspiração, como numa cena próxima ao final em que se busca ensinar o valor da família e do que é uma verdadeira amizade. É um filme de ensinamentos. A todo momento essa regra nos é apresentada, por menor e mais discreta que seja, algo está sempre sendo ofertado ao espectador.

A pergunta que fica é: Por que da baixa aceitação? Ainda que conte com uma nota respeitável no Rotten Tomatoes o consenso mais geral é de que a produção parece não estar no patamar de outras da Pixar. Equívoco tremendo. O que não está no patamar são as pessoas, o momento atual, isso sim. Talvez muitos não tenham mais a sensibilidade e delicadeza para reconhecer, valorizar ou enxergar aquilo que O Bom Dinossauro apresenta em seus 93 minutos de exibição. Uma obra que faz jus sim ao histórico da Pixar de excepcionais trabalhos. Um filme excelente, mas com certeza incompreendido em virtude da realidade presente da sociedade.

A animação é linda, seja por sua qualidade técnica, com paisagens que beiram quase o realismo, seja pela arte nos momentos que busca encantar com suas cenas cheias de brilhos e cores. Arlo vive uma jornada de autodescobrimento e carregará lições valiosas para toda a vida que servirão para torná-lo um ser melhor. Essas são as principais lições do filme; sinta, viva, aprenda, porém, o mundo não tem tempo, olhos, sentimento para isso. Todo mundo já sabe tudo, todos já tem a receita pronta para a vida e para como ser bem sucedido e as singelas e puras mensagens de O Bom Dinossauro passarão desapercebidas, desperdiçadas e desvalorizadas para a maior parte das pessoas. Uma pena. O mundo precisa urgentemente de mais Arlos.

Intensidade da força: 9,0

2 opiniões sobre “O Bom Dinossauro”

    1. Achar animação legendada aqui em SSA é sonho Ramon. Se eu fosse esperar não assistiria nenhum praticamente. Já me conformei e reconheço que os trabalhos não são dos piores. Até porque não temos aquele referencial da voz original que existe nos filmes com atores reais.

      Não dei de assistir quando tiver oportunidade.

      Abraços.

Deixe seu comentário