Minions

minions

Título Original- Minions
Título Nacional- Minions
Diretor– Kyle Balda/Pierre Coffin
Roteiro- Brian Lynch
Gênero– Animação/Comédia
Ano- 2015

– Não funciona sozinho…

…Essa impressão já tinha ficado clara com a maior exposição das personagens no última longa que conta com a participação dos seres. Em Meu Malvado Favorito 2 os “minions” já tem um tempo de tela muito maior que no primeiro e isso não havia contribuído positivamente para aquele longa. Agora, numa produção exclusiva essa sensação se torna uma constatação, embora divertido, Minions não traz nada, é um filme que não se sustenta por si, pois as personagens precisam de um âncora para poder ter seu potencial explorado da melhor maneira.

Tudo começa com uma introdução trazendo a origem dos protagonistas, de que eles estariam presentes desde os primórdios e sempre tiveram um objetivo quase vital; encontrar um líder. Com o avançar dos tempos eles teriam participado de todos os momentos da história do mundo e dos humanos até que, sem resolverem sua missão, tentam viver entre si, no começo tudo parece funcionar, mas logo a missão essencial cobra sua execução e mais uma vez eles se veem perdidos. É aí que Kevin se candidatará como salvador e partirá numa busca com Bob e Stuart, os outros que “aplicam-se” para o desafio. Eles então partem como a alternativa para a sobrevivência de todos os Minions!

É a partir desse momento que a falta de sustentação das personagens cobra seu preço. É engraçado ver os seres amarelinhos falando em diversas línguas (se não haviam percebido ainda, os Minions falam um mix de várias expressões de outras nacionalidades), mas só isso se torna maçante durante os 90 minutos e mesmo que as situações divertidas tendam a agradar elas não conseguem manter o nível alto como costuma acontecer em Meu Malvado Favorito, especialmente o primeiro. É a partir dessa constatação que notamos que Gru é realmente a alma deste universo e não os Minions e, para ser sincero, a melhor parte de todo este longa é justamente quanto ele aparece.

No final, Minions é uma animação divertidinha e que fará sucesso entre os pequeninos, principalmente os bem novinhos. Não faz muito sentido, não tem muito o que ser analisado, é tudo bem básico e direto, abusando dos visuais e sons, justamente o que mais aguça o interesse da garotada. Não é ruim, mas prova que não é suficiente por si e pode revelar para a Ilumination que é preciso voltar com Meu Malvado Favorito nos moldes primordiais e manter uma das séries animadas mais originais e alegres do momento recente porque, como obra individual, deixa a desejar.

Intensidade da força: 6,0

2 opiniões sobre “Minions”

  1. É porque é o começo Márcio. Aquela rotina não podia se repetir por 90 minutos. Eles servem para aquilo, piadas rápidas, um filme não pode ser uma sequência de cortes de piadas rápidas tão somente.

    Eles podem dar certo como um curta animado, mas longa jamais.

Deixe seu comentário