Noite Sem Fim

noite sem fim

Título Original- Run All Night
Título Nacional- Noite Sem Fim
Diretor- Jaume Collet-Serra
Roteiro- Brad ingelsby
Gênero-  Ação/Drama
Ano– 2015

– Uma vida numa noite…

Na continuidade de seus trabalhos o ator Liam Neeson (Jimmy Conlon) segue fazendo filmes de ação, um fenômeno curioso, haja vista que o intérprete se consagrou com Lista de Schindler, e nos últimos tempos vem obtendo bons resultados num gênero que exige muito mais do físico. Seria interessante vê-lo atuando em trabalhos como os de outrora.

No longa em questão ele é um assassino aposentado, sozinho e apenas aguardando o dia em que pagaria pelos crimes do passado. O companheiro Shawn Maguire (Ed Harris) tenta mantê-lo por perto, numa espécie de gratidão pelos serviços e fidelidade desde a juventude. Porém um acontecimento inesperado irá abalar esse delicado equilíbrio. Quando Danny (Boyd Holbrook) envolve-se num crime presenciado pelo filho de Jimmy, Mike (Joel Kinnaman), essa tênue paz irá quebrar-se e a vingança de Shawn não medirá esforços, nem mesmo a amizade dos anos passados.

Agora pai e filho terão que sobreviver a uma perseguição implacável durante uma noite ao mesmo tempo em que lutam para por de lado as diferenças que marcaram a vida de ambos. Mike sente um rancor que beira a irracionalidade frente à única chance de mantê-lo vivo e esta talvez tenha sido a opção mais equivocada adotada pelo roteiro e direção. A relação de ambos é irritante ao passo que o desejo irrefreável do antigo amigo em eliminá-los também segue o tom da estupidez em diversos momentos.

Seguindo a mesma fórmula de Sem Escalas esta nova obra de Jaume Collet-Serra não consegue manter o balanço visto anteriormente e desliza bastante na condução dos eventos. As cenas entrecortadas cansam pelo difícil acompanhamento e este recurso já vem tornando cansativo assistir os filmes que Liam Neeson protagonize no gênero ação. O caminho da reparação dos erros do personagem principal não agrada devido à relação mal estruturada entre pai e filho.

No final, há pouco que mereça elogio e destaque neste longa, tampouco problemas graves que tornem a produção ruim. Resta aquele sentimento de indiferença, desinteresse, talvez até pior do que um desapontamento, frustração.

Intensidade da força: 5,0

2 opiniões sobre “Noite Sem Fim”

    1. Mas é exatamente isso mesmo Márcio. O filme não vale a ida ao cinema. Vê-lo deve ser apenas uma escolha única, como foi a nossa, caso contrário é melhor evitar.

Deixe seu comentário