Birdman

Título Original– Birdman
Título Nacional- Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Diretor– Alejandro González Iñárritu
Roteiro– Alejandro González Iñárritu/Nicolás Giacobone
Gênero- Drama
Ano- 2014

– A virtude inesperada de…

…Michael Keaton (Riggan), protagonista do longa em destaque que vem recebendo inúmeros elogios, seja pelo conjunto da obra, como também por sua atuação. Neste trabalho, o ator representa a si mesmo, numa espécie de viagem às próprias origens. Some-se a isso o tom crítico ao meio artístico cênico em geral. Será que é motivo para tanto alarde? Ou seria apenas mais um caso da valorização exagerada a um formato de projeto?

O ator Riggan Thompson é muito conhecido pela participação nos filmes do personagem Birdman, fazendo alusão às obras cinematográficas baseadas em quadrinhos e nos blockbusters em geral. Ainda que tenha ganhado muito dinheiro com esta série o protagonista crê não ser valorizado pela sua arte em si e quer provar que não é somente uma mera ascensão da personagem que caracteriza, mas tem luz própria. Onde mais ele poderia conseguir este objetivo? No teatro, claro, tido e havido pelo meio como a atividade que diferencia os homens dos meninos.

A missão, entretanto, não estava nada fácil. Riggan já queria uma afirmação total, quando propõe roteirizar, dirigir e atuar a própria peça. Tendo feito um investimento substancial e com a data de abertura do espetáculo cada vez mais próxima ele começa a preocupar-se com a possibilidade de não mais conseguir soerguer-se financeiramente caso falhe no seu objetivo. Para isso ele vai ter que trazer o famoso ator teatral Mike Shine (Edward Norton), com ele tudo poderia ser alcançado mais facilmente, pois a credibilidade era notória, resultando no combo: sucesso de público e crítica.

Somando-se aos demais integrantes: Lesley (Naomi Watts) e Laura (Andrea Riseborough), o grupo agora terá que enfrentar o gênio de Mike para conseguir ser bem sucedido. O filme trata de todas as questões sempre se remetendo ou apoiando-se em diálogos interessantes e insinuantes que criticam o meio cênico em geral, sejam as pessoas e suas vaidades, preconceitos, traumas, neuras, excentricidades. A própria montagem do filme se constrói no estilo teatral numa espécie de peça dentro de outra, sendo que o pano de fundo atua como cortina para o que realmente importa, os dramas pessoais de cada um, em especial Riggan.

Talvez por esta forma inteligente para apresentar-se o filme venha sendo tão bem avaliado no geral, mas, como tudo na vida, a onda de entusiasmo e o orgulho faz com que se afunde na própria ignorância por considerar que estes aspectos fazem desta obra algo tão especial assim. É um trabalho bom e inusitado, crédito por isso deve ser considerado sim, mas não a ponto de alçá-lo a um patamar que não lhe é cabido apenas por tais virtudes, neste caso, numa espécie de antítese ao próprio título secundário, Birdman não faz mais do que uma planagem breve e rasteira.

Intensidade da força: 7,0

2 opiniões sobre “Birdman”

  1. Talvez mais por conta da falta de “adversários” a altura nessas corridas de premiação ele tenha ganho tanto destaque. Minha nota para o filme seria um pouco mais que a sua, um 8 acho que estaria de bom tamanho, mas concordo que o que se fala do filme mundo agora está com um certo tom de exagero.

    Acho que as críticas que ele faz à “maquina do cinema” são pertinentes sim e a própria piada/paródia que envolvem os personagens como o de Keaton e Norton são muito legais, mas será que é mesmo para tanto?

    1. Eu não acho que é para tanto, de todos os candidatos a melhor filme que conferi ele é o que menos me empolgou. Acho que sobressai muito num aspecto, enquanto noutros não tem nada assim de tão especial, mesmo no que se destaca não é aquela coisa fantástica.

      Ainda estou para ver Sniper Americano, Whiplash e Foxctcher e tenho quase certeza que ele será o mais fraco dentre todos. Isso que estou avaliando vários critérios, não apenas sob minha opinião pessoal apenas.

Deixe seu comentário