O Juiz

Título Original– The Judge
Título Nacional- O Juiz
Diretor- David Dobkin
Roteiro– Nick Schenk/Bill Dubuque
Gênero- Drama
Ano- 2014

– Veredicto da vida…

Um pai austero, Joseph Palmer (Robert Duvall), um filho reprimido, Hank Palmer (Robert Downey Jr.), e inconformado com o afastamento do genitor no decorrer de seu crescimento. Agora, depois de muitos anos, eles irão se reencontrar em virtude da morte da matriarca da família. Como será este retorno? Que sentimentos, reações, tudo isso irá despertar naquela família? Os ingredientes estão postos e os jurados serão os espectadores. O Power Cinema traz aqui sua decisão a respeito da obra.

A pequena cidade de Carlinville é mais outra daquelas típicas localidades americanas famosas por sua tranquilidade em que alguns se veem plenamente realizados, enquanto outros frustrados por sentirem-se restringidos naquele ambiente. Hank era um desses. Fez faculdade na cidade grande e formou-se em direito, seguindo a carreira de advogado, seu pai, era o Juiz de sua cidade natal e os dois irão rever-se depois de 20 anos e para os que dizem que o tempo apaga tudo, estes dois provam o contrário. Não só eles, mas toda a família parece ainda não ter superado os problemas do passado e tem dificuldades de perdoarem uns aos outros.

Em meio à comoção do infortúnio, um acidente fatal acontece e o principal suspeito é o pai de Hank. Ele imediatamente se predispõe a defendê-lo, mas a oferta é negada. As coisas se agravam, pois o advogado C.P. Kennedy (Dax Shepard) não tem a experiência necessária para um caso desta importância e, mais uma vez, Hank irá oferecer-se para assumir o caso. Sem alternativas o pai termina cedendo, mas impõe uma série de condições que dificultariam muito a maneira como proceder em sua defesa. Em meio a todas estas divergências, memórias virão à tona e atormentarão todos os integrantes da família que sofrem terrivelmente pelos erros entre eles.

Uma história um tanto típica, mas bem conduzida e interpretada pelos envolvidos. Há os momentos banais e previsíveis, mas estes são pouco explorados e não constituem a mola mestre da trama. Há muito que se refletir sobre perdoar, reconhecer seus erros, enfim ser uma família. São estas passagens que dão toda a substância para este bom filme. Ainda encontraram espaço para os alívios cômicos, muito bem inseridos no geral, portanto há pouco a ser objeto de ressalvas. Não se trata de um drama para fazer chorar, não, na realidade é permeado de mensagens positivas e pode ser uma boa maneira de refletir sem que para isso tenha que se ficar deprimido. Se este tipo de filme te chama atenção, então O Juiz poderá ser uma boa opção para assistir.

Intensidade da força: 8,0

4 opiniões sobre “O Juiz”

  1. parece-me um bom filme, pode não ser exatamente original, mas o elenco é de primeira linha. quero assistir eventualmente.

    ps: não conhecia o seu site, gostei do que vi. abraços!

  2. Gostei das atuações, achei um filme até razoável e mandaria uma nota 5 de 10 pra ele porque achei apenas um filme ‘correto’.

    Tem algumas cenas bem grandiosas e a história apesar de ser banal é sempre boa de se ver, mas esse fatalmente entrará um dia na lista dos filmes que assisti e nem lembro mais do que se tratava.

    1. Poxa Márcio, mas 5 é uma nota de filme fraco, nem correto dá para chamar. Considerei muito boa a condução no geral, não cai nas armadilhas de querer resolver tudo da forma mais bonita, tentando manter uma coerência com o que vemos na realidade.

      Bom ver você dando as caras novamente!

      Abraços!

Deixe seu comentário