Os Mercenários 3

Título Original- The Expendables 3
Título Nacional– Os Mercenários 3
Diretor- Patrick Hughes
Roteiro– Sylvester Stallone/Creighton Rothenberger
Gênero- Ação
Ano– 2014

– Terceiro e último…

É a torcida que fica para esta franquia que nasceu com um ótimo conceito, mas se perdeu ao longo do caminho. Nesta recente aparição Sylvester Stallone (Barney Ross) se juntará à sua legião de soldados para enfrentar a ameaça de um antigo membro, representado por Mel Gibson (Stonebanks). Apostando numa fórmula que mescla os velhos e carismáticos ícones do mundo dos filmes de ação, Stallone introduz algumas caras novas, a exemplo da lutadora de MMA, Ronda Rousey (Luna) que, numa rápida análise, não fica muito distante de sua colega mais famosa no meio cinematográfico e, de mesma origem, Gina Carano.

Tudo começa com o grupo indo salvar um integrante antigo, desaparecido há algum tempo, Wesley Snipes (Doc). O excelente ator (no gênero) está de volta ao mundo do cinema, após uma passagem pela prisão por evasão de impostos. O grupo composto por Barney, Lee Christmas (Jason Statham), Gunner Jensen (Dolph Lundgren), Toll Road (Randy Couture) e Caesar (Terry Crews) irá partir para a próxima missão, logo após terem libertado Doc. Nesta ação eles irão reencontrar este antigo membro, agora no mundo do crime, conhecido apenas por Barney e Doc. Assustado com a revelação de quem pensava estar morto, o líder dos mercenários resolve aposentar o grupo, por temer pela vida dos mesmos (pouco convincente), depois de Caesar ter sido ferido gravemente no embate contra Stonebanks.

Ele irá partir para um novo recrutamento em que estarão estes membros mais jovens aos quais Barney não tem nenhum elo emocional e não liga para o que acontece com eles. Porém, durante uma missão, mais uma ligação emocional se estabelece e Barney terá agora que cuidar dos antigos e novos membros. Sim, é bobo assim, sim é meio sentimental assim, sim, é um pouco afeminado assim. Nada contra sentimentos, nada contra emoções, mas isso não combina com a proposta sobre a qual a obra se construiu.

Como se não bastasse este aspecto os escolhidos para integrarem a nova equipe, a versão jovem, foram atores desinteressantes que não acrescentaram nada à obra, pelo contrário, para a participação deles os antigos passaram boa parte do filme na reserva e somente no final retornam para salvarem tudo. O que se pode dizer, numa síntese sobre Mercenários 3 é que, começa bem, desce a ladeira no meio e depois volta ao plano no final. O problema é que a proporção ficou demasiada aos atores novos e outro aspecto marcante se perdeu; o resgate dos velhos nomes do cinema de ação. Não dá para saber se foi por questões de tempo e dinheiro, mas a verdade é que todos aparecem muito pouco, deixando a marca da obra bem enfraquecida.

As cenas em geral oscilam entre bons e maus momentos. A cena final ficou um pouco longa e repetitiva, tentando dar espaço para todos brilharem, mas não convence. No final fica a sensação de que a aposta não deu certo e que a franquia pode ter se encerrado na decrescente, depois de ter tido um bom momento com o segundo longa. De qualquer forma melhor encerrar com a cabeça ainda fora da água do que agonizando.

Intensidade da força: 5,0