Capitão América 2: O Soldado Invernal

Título Original– Captain America: The Winter Soldier
Título Nacional– Capitão América 2: O Soldado Invernal
Diretor- Anthony Russo/Joe Russo
Roteiro– Christopher Markus/Stephen McFeely
Gênero– Ação/Ficção
Ano– 2014

– Subindo de nível…

É a impressão rápida que se tem ao assistir o novo episódio do filme do Capitão América (Chris Evans). Um herói melhor, mais familiarizado com suas habilidades que proporciona confrontos muito mais dinâmicos, divertidos e criativos, usando bastante o escudo como arma de ataque, marca registrada de sua ação também nos quadrinhos. Aqui ele também começa a mostrar o porquê é chamado de Capitão. Sua liderança começa a se fazer mais presente e ele passa a tomar as rédeas de suas decisões, ao invés de ser apenas um fantoche nas mãos de seus superiores. A chegada do misterioso Soldado Invernal (Sebastian Stan) também trará ainda mais elementos para a história.

O filme se passa após os eventos dos Vingadores, assim como o Iron Man 3 e Thor 2. O Capitão está agindo sob as ordens da SHIELD, comandada por Nick Fury (Samuel L. Jackson), e acredita estar lutando para tornar o mundo um lugar melhor, mas perceberá que está sendo manipulado e usado pelos seus comandantes. Logo após conhecer a verdade ele resolve seguir seu próprio caminho, ainda que não saiba precisamente qual seria. Entretanto, quando Nick Fury é perseguido por uma força desconhecida ele resolve mais uma vez agir dentro daquele mundo, sem saber o que realmente esta acontecendo nos bastidores. Contando com a ajuda da Viúva Negra (Scarlett Johansson) e, mais a frente na trama do Falcão (Anthony Mackie), o Capitão perceberá que nem todos os fantasmas do passado estão congelados.

Com um ritmo muito melhor que seu antecessor, este novo filme consegue balancear as características mais “normais” do herói, mas sem que ele perca seu diferencial. Aqui se pode perceber mais claramente suas habilidades de super humano sendo empregadas, com grandes saltos, chutes e socos poderosos e o manuseio do escudo para lá de versátil, utilizando-o de maneira muito mais consciente e inteligente do que anteriormente. Os elementos de espionagem estão presentes com a atuação da SHIELD conferindo mais este aspecto instigante aos eventos mostrados.

A chegada do Soldado Invernal também dá ao Capitão um antagonista capaz de confrontá-lo de igual para igual e impô-lo momentos de pressão não por ser necessariamente mais poderoso, mas tão versátil quanto ele. As lutas são o ponto alto do filme, muito bem trabalhadas e pensadas pela equipe técnica. O roteiro consegue trazer substância suficiente para dar ao filme aquele algo mais do que apenas os momentos de ação.

Em geral este é o melhor longa realizado pela Marvel desde Vingadores. Consegue ser diferente o suficiente dos demais e traçar bem o perfil do seu protagonista. Chris Evans se desenvolve bem dentro do papel que interpreta e até o caricato Samuel L. Jackson tem um desenvolvimento maior. Tudo consegue funcionar muito bem aqui e o sucesso de público e crítica é merecido. Não fossem algumas contradições durante certos momentos brigaria ainda mais próximo com o primeiro Iron Man e The Avengers, mas para o salto alcançado já foi algo digno de aplausos.

Intensidade da força: 9,0

2 opiniões sobre “Capitão América 2: O Soldado Invernal”

    1. Com certeza Márcio. Para quem gosta de cinema e quadrinhos é muito bem-vinda estas histórias bem criadas com as personagens. É torcer para a Warner/DC acertar a mão com os seus representantes também que o prato será cheio neste gênero.

Deixe seu comentário