Tudo por Justiça

Título Original- Out of the Furnace
Título Nacional- Tudo por Justiça
Diretor– Scott Cooper
Roteiro– Brad Ingelsby/Scott Cooper
Gênero- Drama
Ano- 2013

– Fazendo justiça…

O longa dirigido por Scott Cooper (Coração Louco) não consegue reproduzir o sucesso alcançado com o seu trabalho anterior que rendeu o Oscar de melhor ator a Jeff Bridges. Com um elenco ainda mais estelar, contando com Christian Bale (Russell Baze), Woody Harrelson (Harlan DeGroat), Casey Affleck (Rodney Baze Jr.), Zoe Saldana (Lena Taylor), Willem Dafoe (John Petty) e Forest Whitaker (Chief Wesley Barnes) dá para notar que falta de material humano não foi o responsável pelo resultado desinteressante alcançado por este longa.

A história se passa numa cidade do interior dos EUA, próxima a Nova Jersey, lá os irmãos Baze viviam de maneira simples o seu dia a dia, porém o mais novo, Rodney não conseguia lidar bem com sua experiência militar no Iraque. Sofrendo psicologicamente com o seu drama de guerra ele tenta despejar toda a frustração na bebida e em lutas clandestinas, apoiadas pelo agenciador nas horas vagas, John Petty, em contraste com o  irmão mais velho bom moço. Mesmo com estes problemas eles ainda conseguiam se virar, pois o primogênito fazia as vezes de pai do mais novo já que o pai dos dois estava nas últimas.

Um acontecimento, entretanto, mudará a realidade desse pequeno núcleo e engatilhará uma série de desdobramentos na vida dos envolvidos. Russell se envolve num acidente de carro e uma criança falece, como havia bebido ele vai preso e passa certo tempo na cadeia (omitido pela história). A mulher logo o abandona e o irmão é o único que se faz presente durante sua estadia reclusa pelo Estado. Após ser libertado ele nota que o irmão está ainda mais perdido nos fantasmas de guerra e não consegue evitar que ele se envolva com o perigoso Harlan e acabe eliminado estupidamente. Russell, então, irá buscar vingança pelo acontecido.

Uma história típica que tinha tudo para dar certo se tivesse sido bem trabalhada, mas simplesmente não acontece. Pode se afirmar que ela não decola em momento algum, estacionando na mesma escala durante todo o discorrer. Isso deixa o filme difícil de ser digerido por quem assiste, pois os rumos nunca encaminham-se numa crescente. A exemplo de uma reta plana que acaba sem definir um destino. Assim o filme se encerra deixando o espectador atônito em ver como tudo se resolve. As interpretações são condignas do elenco, mas insuficientes para superar o equívoco da forma escolhida para narrar. Uma pena, pois tudo estava lá para que a justiça fosse feita.

Intensidade da força: 6,0

Deixe seu comentário