Need for Speed – O Filme

Título Original– Need for Speed
Título Nacional– Need for Speed – O Filme
Diretor– Scott Waugh
Roteiro- George Gatins
Gênero- Ação
Ano– 2014

– Sede saciada…

Com um filão em aberto já que conta com apenas um expoente de valor (ainda muito contestado), chegou aos cinemas a tentativa de dividir as atenções neste ramo: Need for Speed, filme inspirado na longa e famosa franquia de jogos da Eletronic Arts. O que parecia um prenúncio de uma bomba relógio se mostrou bem melhor do o esperado e não fica devendo em nada ao rival de maior expressão. Aqui o foco nos carros é muito maior do que em Velozes e Furiosos, tendo, portanto uma atratividade maior para quem curte este tipo de proposta.

A história é simples, mas adequada para o que o filme se propõe a tratar. Um jovem piloto Tobey Marshall (Aaron Paul) nunca conseguiu sair do submundo das corridas, ao contrário do oponente Dino Brewster (Dominic Cooper) que é um piloto famoso tendo corrido inclusive na Fórmula Indy, retratada aqui como algo extraordinário, um pouco além de sua real importância. O protagonista ainda tem que lidar com a recente perda do pai e dificuldades financeiras com sua oficina de personalização automotiva. Neste momento chega Dino com uma proposta irrecusável que consistia em aprimorar o lendário carro feito pela Ford em parceria com Carroll Shelby, o Mustang Shelby Cobra.

Ele reluta em aceitar a oferta, pois os dois parecem ter problemas passados, não esclarecidos para o público, porém, o aperto financeiro fala mais alto e ele entra num acordo que mudaria sua vida. Após concluir o trabalho com sucesso, os rivais se desentendem e marcam uma disputa na pista para resolver o impasse. É quando ocorre a tragédia que vitima um dos amigos de Tobey. Maquiando o ocorrido Dino escapa e joga a culpa no outro que vai preso e cumpre pena por homicídio culposo. Após a saída da cadeia ele irá buscar vingança e justiça. Uma trama boba e simplória, mas suficiente e bem articulada.

Com a ajuda do grupo de amigos ele terá que vencer inúmeros desafios e obstáculos a fim de conseguir seu intento, tudo isso a bordo do Shelby Cobra. Há pessoas que questionam esse tipo de marketing, mas é uma coisa que na verdade pouco importa se o carro em destaque for para tanto e este é o caso. Com uma atuação muito boa de Aaron Paul, ator conhecido pela série Breaking Bad é possível olhar para o filme com alguma seriedade e interesse, pois sua interpretação sustenta os acontecimentos, comprovando como este é talvez o aspecto mais importante de uma obra cinematográfica. Não fosse por ele, dificilmente Need For Speed seria interessante.

O longa ainda conta com a boa participação da curiosa e bela Imogen Poots (Julia Maddon) servindo de contrapeso para a tensão e masculinidade excessiva, somando ainda mais ao título. No final, Need for Speed é um filme respeitável, ótimo dentro da temática que se insere e sem dúvidas pode conseguir continuações se a receptividade do público for suficiente. Como fã, gostaria muito que acontecesse, baseado num nome forte do entretenimento eletrônico ele já teria facilmente um público interessado e sem grandes amarras criativas, pois o jogo é apenas sobre corridas, não há muito o que restringir ou adequar no âmbito do roteiro. Mantendo a premissa básica de usar os super carros como objetos de desejo meio caminho já estaria andado e isso é feito aqui com bastante sucesso. Se você gosta de filmes de ação e carros não pode perder.

Intensidade da força: 7,5

Deixe seu comentário