Uma Aventura LEGO

Título Original- The Lego Movie
Título Nacional– Uma Aventura LEGO
Diretor– Phil Lord/Christopher Miller
Roteiro– Dan Hageman/ Kevin Hageman
Gênero– Animação/Comédia/Aventura
Ano– 2014

– Usando a imaginação… 

Depois de criar toda uma reputação como um dos brinquedos mais queridos e desejados e ter se aventurado nos jogos eletrônicos com as aventuras inspiradas em nomes como Sr°. dos Anéis e Batman, é chegada a vez dos Legos alcançarem os cinemas. A aventura montou-se no Brasil no último fim de semana e demonstra que é possível realizar um longa baseado na marca, mantendo a proximidade com o que representa e adequando-se ao formato cinematográfico.

Tudo começa com o embate entre Vitruvius e o Sr°. Negócios. Enquanto um tentava proteger o mundo o outro estava em busca de controlá-lo e destruí-lo. Ele iria utilizar um artefato chamado “cluca” para realizar seu intento, mesmo derrotado Vitruvius avisa ao vilão que o dia chegará em que alguém irá impedir que seus planos se concretizem. Algum tempo então se passa e o mundo é totalmente controlado pelo Presidente Negócios. Tudo girava em torno de suas criações e as pessoas viviam de acordo com suas regras. Bem encaixado e imerso nessa realidade manipulada estava o bonequinho Emmet. Ele simboliza uma daquelas figuras comuns presentes nos brinquedos de Lego, aquelas, que, supostamente, não devem ter nenhum papel de destaque nas brincadeiras.

Enquanto vivia seu cotidiano ele acidentalmente se prende à relíquia que seria responsável por ajudar a acabar com a ameaça da cluca. Para desespero da força de resistência liderada pela indomável Mega Estilo o esperado herói não era nada daquilo que eles sonhavam e a luta será ainda mais difícil. Começa a busca então por uma maneira de preparar Emmet para o embate ao mesmo tempo em que buscam uma maneira de invadir o território inimigo. O filme é bastante divertido no geral, conta com todo o carisma da Lego e o fato de ser apresentado como se fosse uma enorme aventura do brinquedo o torna ainda mais original e ousado.

Entretanto é bem bobinho e a completa falta de direção e ordem (propositais) às vezes atrapalha um pouco. A parte final reserva alguma surpresa e agrega muito ao balanço final, porém ainda não é suficiente para elevar a obra àquele patamar marcante de outros títulos do gênero. Mesmo assim é uma proposta que tem seus méritos e diverte satisfatoriamente. Ver as referências a inúmeros ícones do imaginário infantil é muito legal e bem aproveitado. As mensagens são bobinhas e mascadinhas, bem voltadas para a criançada mesmo. É um bom programa no geral, especialmente para a família.

Intensidade da força: 6,5

Deixe seu comentário