Trapaça

Título Original- American Hustle
Título Nacional– Trapaça
Diretor– David O. Russell
Roteiro– Eric Warren Singer/David O. Russell
Gênero– Drama/Policial/Comédia
Ano- 2013

– Enganações com estilo…

Na cafonice do protagonista Irving Rosenfeld (Christian Bale) está o contra balanço da sensualidade de Sydney Prosser (Amy Adams) e fazendo par com o desequilíbrio estão o agente do FBI Richie DiMaso (Bradley Cooper) e Rosalyn Rosenfeld (Jennifer Lawrence). Assim está montado o esquema para um dos campeões de indicações ao Oscar 2014, Trapaça. Filme do mesmo diretor de O Lado Bom da Vida que rendeu a Lawrence seu primeiro Oscar e a Bradley sua primeira indicação. Aqui ambos já conseguiram novas indicações por seus trabalhos com o diretor, mesmo estando distantes de suas interpretações anteriores.

O longa tem algumas semelhanças com o realizado anteriormente pelo diretor, com os típicos personagens desajustados, aqui não limitados apenas às pessoas com problemas psicológicos, mas àqueles considerados “normais” ou não diagnosticados como loucos ainda. A forma de dirigir também é bastante semelhante usando muito os planos de cena referenciados: quando quer introduzir alguém importante na trama, close, se a personagem terá um momento intenso, close. O roteiro colaborado pelo próprio diretor traz muitas semelhanças com O Lado Bom da vida, as duas personagens suporte são basicamente os protagonistas do longa passado. Em suma, Trapaça agrega muito pouco em termos de originalidade e resume-se, basicamente, a mais do mesmo, com leves diferenças.

Um dos diferenciais está em Christian Bale e sua personagem. Ele é um vigarista que desde novo já se interessou em passar a perna nas pessoas, e com o tempo essa “vocação” apenas aprimorou-se. Após aliar-se à ambiciosa e frustrada Sydney Posser, seus esquemas apenas crescem e isso chama a atenção do policial Richie DiMaso que intencionava usá-los para derrubar políticos corruptos. Seu alvo inicial era o prefeito de Nova Jersey, Carmine Polito (Jeremy Renner), que pretendia realizar uma grande obra que impulsionasse o crescimento da cidade e não mediria esforços para tanto, mesmo que tivesse que fechar os olhos para algumas ilegalidades. Era com isso que o agente do FBI contava.

Após chantagear o casal de estelionatários a trabalhar para ele em troca de liberá-los de seus crimes, ambos começam a por o plano para pegar o prefeito em prática. A partir de então muitas coisas acontecerão e os segredos de cada um serão revelados, à semelhança do que acontece em O Lado Bom da Vida. Não é que Trapaça seja um filme fraco, mas nem de longe merece todas as indicações recebidas( ou talvez mereça?). Só se a coerência pairou na decisão da Academia e eles sentiram-se compelidos a apontar a produção para tantos prêmios. O filme conta com atuações boas de quase todos os envolvidos e certamente as indicações para eles foram justas, mas não vejo este longa conquistando muita coisa dentre o que foi indicado, visto que aqueles com que concorre estão num patamar acima.

Intensidade da força: 7,5

2 opiniões sobre “Trapaça”

  1. Também tem outra coisa Bill, foi indicado a muitos outros prêmios menores, ai quando a gente soma e vê 10, PQP! Que exagero! hehehhe

    Achei o filme divertido e concordo até com sua intensidade da força. Aposto que do Oscar ele vai levar pouca coisa pois os concorrentes são melhores na maioria dessas indicações.

    1. Estamos concordando nestas últimas análises Márcio. AHAHA! Acho que tiraram as indicações a mais que Lobo de Wall Street poderia levar e passaram para este aí. AHAHA!

Deixe seu comentário