Ajuste de contas

Título Original- Grudge Match
Título Nacional– Ajuste de Contas
Diretor- Peter Segal
Roteiro– Tim Kelleher/Rodney Rothman
Gênero- Comédia
Ano- 2013

– Luta geriátrica…

…a exemplo do assunto que passam todo o filme brincando. A verdade é que Grudge Match é mais uma brincadeira com as deficiências e dificuldades das pessoas da terceira idade do que outra coisa. Aqui dois atores icônicos em filmes de boxe, Sylvester Stallone (Henry ‘Razor’ Sharp) e Robert De Niro (Billy ‘The Kid’ McDonnen) vão subir ao ringue para tentar resolver uma rixa do passado que ficou de lado devido a um golpe baixo da personagem interpretada por De Niro. O cartaz engana bastante o título também, embora em menor escala. Não se tem um filme de luta ou algo do tipo, mas sim um bom humorado retrato de como é difícil vencer os preconceitos e limitações que a velhice nos impõe, muitas vezes por nós mesmos.

O longa faz uma rápida reminiscência para mostrar de onde veio a rixa entre os protagonistas e daí já avança para o presente em que um deles conseguiu uma vida tranquila e estável, enquanto o outro não soube aproveitar o que o esporte lhe proporcionou e, aliado a ressentimentos do passado, isolou-se e vive de maneira bem simples e limitada. Os constantes comentários na TV revivem os sentimentos do passado nos dois e não os permitem seguir suas vidas plenamente, mesmo que passados 30 anos. Razor, ainda que nem televisão tenha (opção própria), também tem que lidar com a pressão já que os colegas de trabalho e antigo técnico, Louis ‘Lightning’ Conlon (Alan Arkin), sempre cobram a razão de sua aposentadoria precoce e, consequentemente, fuga da revanche que teria com Kid. Já que nos duelos pessoais estava 1×1 para os dois.

Nessa onda de reviver o passado surge uma oportunidade dos dois ganharem um dinheiro extra e assim eles irão se reencontrar, mesmo a contra gosto de Razor. A partir de então fica impossível de conter uma nova luta e, com a ajuda do animado e desesperado empresário Dante Slate Jr. (Kevin Hart) o combate termina sendo agendado. Nesse meio tempo cada um terá que superar tanto suas limitações físicas impostas pela idade, como as do tempo e é este caminho que a história se foca e busca contar de maneira bastante espirituosa e irreverente. Com uma boa atuação de De Niro, que não se leva a sério e brinca com sua idade a todo instante, além do impagável Kevin Hart, Ajuste de Contas é aquele típico programa para passar o tempo sem maiores preocupações ou importância.

A direção de Peter Segal (do bom Agente 86) tem altos e baixos. Sobe bastante quando se afasta dos estereótipos da comédia pré-programada, ao mesmo tempo em que se deixa levar demais nesse balanço quando alcança a outra ponta, com os pequenos draminhas e redenções que pouco agregam ou importam a obra. Sem falar que a luta em si é bem bobinha e sem importância não resolvendo de fato o problema inicial. Mesmo com estes contratempos não deixa de ser um título recomendável e que deve agradar bastante a quem não se preocupa com os outros aspectos numa produção cinematográfica.

Intensidade da força: 7,0

Deixe seu comentário