Uma noite de crime

Título Original– The Purge
Título Nacional- Uma Noite de Crime
Diretor- James DeMonaco
Roteiro- James DeMonaco
Gênero- Suspense/Drama/Terror
Ano- 2013

– Noite esquecível…

O filme que conta com o chamariz “do mesmo time por trás de atividade paranormal” já soa repetitivo e não dá para entender porque insistem com este chavão, se isso realmente funciona de alguma maneira positiva. No caso em questão, pelo menos a proposta inicial parecia interessante. Uma noite em que as pessoas podiam extravasar sua fúria e violência contida, conseguindo assim uma pacificação social mais fácil. Claro que teria que existir um erro grave neste dia e o filme trata deste fato com a família Sandin.

O núcleo vivia num bairro abastado e aproveitava de uma vida tranquila e com acesso a tudo. O chefe da casa, James Sandin (Ethan Hawke) vendia sistemas de segurança para aqueles que não desejavam participar da noite de matança sentirem-se mais seguros. Numa realidade em que tudo deveria funcionar perfeitamente, nada estava certo. Os filhos do casal, Charlie Sandin (Max Burkholder) e Zoey Sandin (Adelaide Kane) eram um tanto problemáticos e traziam desequilíbrio ao lar. A jovem queria curtir seu namoro e estava na fase de achar tudo chato, enquanto o garoto vivia isolado no seu mundo particular alheio ao resto do mundo.

Uma coisa era comum a todos da casa, no entanto, ninguém estava à vontade com a Noite da Purgação (daí o nome “The Purge“). Cada um à sua maneira expressava seu desconforto. O que não iriam imaginar é que o nível de ingenuidade e estupidez de um dos filhos poria todos em um perigo enorme ao desarmar a segurança e permitir que um sem teto entrasse na casa enquanto fugia da perseguição de outros que tentavam matá-lo. Logo surge o grupo que o caçava exigindo que fosse devolvido e daí começará toda a tensão e “terror” para inocente família.

Como se pode ver o filme resume algo que tinha um escopo interessante e que poderia ser desenvolvido mais profundamente com uma mera caçada e louca por alguns moleques metidos a besta e sem limites. Com atuações superficiais e momentos ineficientes para passar tensão ou perigo, o filme falha em quase tudo. As situações nunca propõem um risco real e a suspeita de que algo ruim possa acontecer é mínima devido à forma como tudo é tratado. Numa das cenas o jovem Charlie se esconde e fica ao mesmo tempo iluminando todo o ambiente como se quisesse ser achado, noutro momento a filha se esconde embaixo da cama e um dos perseguidores é incapaz de olhar neste lugar tão “improvável” que alguém vá se esconder.

Todos estes elementos contribuem negativamente e fazem Uma Noite de Crime uma obra descartável e que não merece sua atenção, pois não executa nada do que se propõe de forma eficaz. A duração de 80 minutos ainda é outro aspecto que indica o quão raso é tudo que ali se apresenta. Como dito, até poderia ter sido feito algo muito melhor com a premissa, mas outra vez mais uma oportunidade foi desperdiçada.

Intensidade da força: 4,0

2 opiniões sobre “Uma noite de crime”

Deixe seu comentário