Como Não Perder Essa Mulher

Título Original– Don Jon
Título Nacional- Como Não Perder Essa Mulher
Diretor– Joseph Gordon-Levitt
Roteiro– Joseph Gordon-Levitt
Gênero– Comédia/Drama/Romance
Ano- 2013

– Don Juan contemporâneo…

Em Don Jon, filme liderado e pensado por Joseph Gordon-Levitt, temos uma obra bastante interessante e versátil sobre relacionamentos, mesclando os detalhes, armadilhas e até mesmo incutindo uma mensagem sobre o vício em pornografia, cada vez mais comum em tempos de mundo digital. Nesta investida, Joseph Gordon-Levitt resolve arriscar tanto à frente como atrás das câmeras. Incansável, também roteiriza a produção numa clara mensagem, para quem conhece um pouco da carreira do ator, uma catarse de alguns filmes de sua adolescência quando normalmente fazia os papeis de segunda opção das garotas.

Em Don Jon, Josh é o típico macho alpha, que leva sua vida de conquistas ao pé da letra. Ele tem um emprego, nada que consuma muito tempo ou que o desvie do alvo principal (conquistar mulheres). Ele é um barman, com isso alia o trabalho à conquista sem precisar sair do mesmo local. Cuida do físico como todo garanhão que se preze e mantém sua casa em ordem para nunca causar má impressão às visitas. Anda com poucos, mas confiáveis amigos, sendo que estes nunca representam um desafio e, na verdade, são mais como trampolins para sua própria autoestima. Implacável quando determina um alvo, ele nunca falha e sempre repete o mesmo modo de abordagem, sempre eficaz. São muito divertidos os primeiros momentos, pois intercala todos os este ritmo da vida do protagonista de maneira rápida e curta, numa clara alusão ao que se resumia seu mundo.

Só que ele é fisgado por uma mulher nota 10 e na escala do grupo, uma mulher nota 10 não se acha em qualquer lugar. Barbara Sugarman (Scarlett Johansson) usa e abusa das roupas coladas durante todo o longa, fazendo um misto de mulher fatal e controladora. Ela consegue amansar o impulso incontrolável de Jon e o faz ser mais responsável com a vida em geral, porém as exigências da jovem continuavam a crescer mascarando sua verdadeira intenção;ter um capacho. O filme é um show de referências. Tudo representa algo, tem um significado e perder um detalhe significa uma chance desperdiçada de sorrir e ao mesmo tempo refletir sobre a verdade ou não do que está sendo exibido.

Aqui Joseph Gordon-Levitt faz um apanhado de tudo que compõe os relacionamentos em geral e ainda agrega pitadas de família e religião, num mix para lá de inteligente e bem humorado de como a vida pode nos prender num círculo vicioso sem nem percebermos. O escorregão, por assim dizer, ocorre mais na parte final da obra, quando Jon conhece e se envolve com Esther (Julianne Moore), uma mulher mais velha e que por ser mais vivida consegue mexer com o garanhão insaciável. A opção definida para o fechamento é um tanto simplória, tendo em vista como tudo é conduzido até ali, entretanto não deixa de ter sua mensagem também. Uma comédia/drama romântico para lá de bem feito e envolvente que, se visto com atenção revelará e até poderá ensinar muitas coisas boas. Uma aposta de sucesso desse bom artista.

Intensidade da força: 8,5

2 opiniões sobre “Como Não Perder Essa Mulher”

    1. Entendo Márcio. Cada um encara certas situações de maneira diferente. Só nos resta ponderar da melhor maneira possível para não sermos injustos no final.

      Abraços.

Deixe seu comentário