Turbo

Título Original- Turbo
Título Nacional- Turbo
Diretor– David Soren
Roteiro- Darren Lemke/Robert D. Siegel
Gênero- Animação/Comédia
Ano- 2013

– Caramujos hiper velozes…

Como assim? É isso mesmo. A mais nova loucura da Dreamworks Animations envolve caramujos velozes! Na onda do “não há mais o que inventar” eles lançaram esta ideia para lá de inusitada. Por se tratar de uma animação o espaço para a criatividade é quase ilimitado e diferentemente de outras apostas Turbo consegue divertir, muito embora não seja nada excepcional.

O pequeno molusco Teo sempre foi diferente dos outros de sua espécie; audacioso, corajoso, imprudente, fanático por velocidade. Isso sempre causou muita discussão com seu irmão Chet que seguia a linha mais natural da ordem do universo em que os caramujos deveriam ser o inverso do que seu irmão sempre desejou e tentou ser. Por este desejo incessante Teo sempre se metia em confusões e colocava os demais em situação de perigo constante. Numa de suas trapalhadas os irmãos discutem e ele sai rastejando sem destino, porém, uma mudança radical iria acontecer: um acidente o transforma num caramujo super veloz e nada mais o prenderia a vida entediante de catar tomates podres.

Noutro momento ele irá se encontrar com o jovem Tito que é nada mais se não uma versão humana para o protagonista, tendo seu irmão Angelo como análogo a Chet. Neste novo ambiente Teo (agora autodenominado Turbo) encontrará outros caramujos malucos que o incentivarão a participar da corrida Indy 500 e o filme é basicamente isso. Não há muito propósito, muito desenvolvimento. É feito para rir tão somente, mas, às vezes, rir sem muita razão cansa e as situações que levam ao riso precisam de um contexto interessante coisa que falta a Turbo em muitos momentos. A criatividade da equipe técnica se esforça para criar momentos inusitados, e é bem sucedida em muitos deles, mas o que poderia sair fantástico como curta animado se perde em mais de 90 minutos de duração.

Ainda assim é uma produção interessante e que entretém sem ser apelativo. Algumas coisas ficaram interessantes como a crítica/piada a propagação de qualquer coisa no Youtube, além das outras mensagens típicas para filmes do gênero. É bem voltado ao público infantil com bastante colorido e pouca coisa para ater-se. Só que os pequenos não vão sozinhos ao cinema em muitos casos e daí pode ser um pouco cansativo para os maiores. Fica muito agradável de curtir a experiência no 4Dx, pois a intensidade da velocidade casa muito bem com o efeito proporcionado pela sala. Enfim, não será um investimento desperdiçado caso queiram fazê-lo.

Intensidade da força: 6,0

Deixe seu comentário