Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer

Título Original- A Good Day to Die Hard
Título Nacional– Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer
Diretor- John Moore
Roteiro– Skip Woods/Roderick Thorp
Gênero– Ação
Ano– 2012 

– Já foi uma boa programação…

Assistir Duro de Matar não consistia num exercício de paciência e complacência lá pelos anos 90, quando a franquia despontou. Depois da parada e retorno com o razoável Duro de Matar 4.0, a produção perdeu um pouco do conceito original (sobrevivência com pitadas de ação clássica) para se limitar apenas a uma sequência desenfreada e frenética de explosões, exageros e megalomanias. Nem mesmo o carisma de Bruce Willis (John McClane) tem sido suficiente para segurar as pontas após o retorno.

Agora um filho apareceu, Jack McClane (Jai Courtney), na típica situação de garoto revoltado que não se dá bem com o pai ausente durante sua juventude. Ele está envolvido em problemas, John fica sabendo da situação e preocupado ele parte até Moscou com o intuito de ajudar o filho a sair dessa confusão. Ao chegar à cidade ele logo percebe que as coisas são bem mais complicadas do que ele imaginara e agora estará mais uma vez envolvido num caso em que terá que mostrar que não é mole matá-lo. Dava até para encerrar as considerações acerca do longa por aqui.

A cartilha mais simplória do gênero é aplicada à risca aqui só que, diferentemente de outras obras tudo parece ser feito desinteressadamente, sem afinco, apenas em busca de ganhar mais uns trocados com a combalida cinesérie. Inimigos para lá de toscos e que não se conectam em nenhum momento com a trama. Momentos vergonha alheia entre Bruce e Jai, quando resolvem discutir os erros do passado sobre suas relações, ou seja, pouca coisa se salva neste novo Die Hard.

Apesar do 4.0 ter sido duramente criticado à época. Ele consegue entregar uma trabalho muito mais interessante do que o atual que provavelmente não deverá conhecer mais continuações, pois está indo mal nas bilheterias bem como no meio crítico. Assistir no 4DX pode agregar um pouco mais e ajudar a iludir sobre a qualidade, mas assim que você sai da sala não dá vontade nem de falar o que achou do filme. Pode divertir um pouco, mas praticamente enterra uma franquia que começou muito bem no passado.

Intensidade da força: 5,0

2 opiniões sobre “Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer”

    1. Perfeito Márcio! Incrível como os comentários se inverteram e o esculachado Die Hard 4.0 passou a ser até bom para muitas pessoas. AHAAH!

Deixe seu comentário