Rock of Ages

Título Original– Rock of Ages
Título Nacional- Rock of Ages: O filme
Diretor–  Adam Shankman
Roteiro- Chris D’Arienzo, Allan Loeb, Justin Theroux
Gênero- Musical
Ano- 2012

Rock eterno…

Levado pelo estímulo do título do filme dei uma chance ao Rock of Ages, porém, antes de ir assisti-lo, dei uma breve pesquisada e vi que se trata de um musical de palco e não algo solto realizado apenas para o cinema. A expectativa somente cresceu com este fato. Ao confirmar presença de atores de algum renome como Tom Cruise (Stacee Jaxx), Alec Baldwin (Dennis Dupree), Catherine Zeta-Jones (Patricia Whitmore) e Paul Giamatti (Paul Gill) a esperança se acendeu ainda mais.

Ainda que seja focado no casal de protagonistas interpretados superficialmente por Julianne Hough (Sherrie Christian) e Diego Boneta (Drew Boley) o que se espera de um musical está presente com a intensidade e qualidade esperada (boas músicas e, no geral, bem adaptadas).

A jovem Sherrie está vindo do interior dos EUA para Los Angeles em busca da fama propagada pela “cidade do pecado” em meados dos anos 80. Era a época de ouro do love metal (Whitesnake, Journey entre outros) e todos ficavam fascinados pelos astros do rock naqueles tempos.

Logo no começo ela irá se deparar com Drew e ele irá ajudá-la a se estabelecer na cidade. O encanto é imediato e os dois começam um romance embalado sempre por muitas músicas. Até este momento o filme era só legalzinho, pois o casal é bem fraquinho (ainda que Drew seja um pouquinho “menos ruim”), a garota é super fraquinha tanto interpretando, como cantando. Típica voz e jeito do estereótipo de garota americana que ficou encarnado especialmente com Britney Spears. O romance se desenrola até que aparece a figura de Stacee Jaxx, muito bem caracterizado por Tom Cruise que simplesmente rouba a cena no longa. Daí por diante as coisas melhoram bastante, mas sempre que o casalzinho principal retorna a tela tudo volta a se complicar.

Rock of Ages é o típico exemplo de uma obra que poderia ter sido muito mais do que terminou sendo. Além de ser um tributo ao rock (dos anos 80 em geral) conta com um bom elenco de “apoio”, mas as decisões equivocadas para os protagonistas, aliado a uma história muito ruim depõem demais contra o resultado final. É uma pena já que no momento atual de crise musical (especialmente do rock) algo desse tipo poderia até ser uma virada de rumos, mas tudo fica um tanto perdido por conta das falhas.

Ainda assim pode ser considerado como imperdível para os fãs do estilo musical e que também querem ver Tom fazendo um papel realmente bom, aliado a boa aparição de Catherine Zeta-Jones, Alec Baldwin e Paul Giamatti.

Intensidade da força: 6,5

2 opiniões sobre “Rock of Ages”

  1. Boa análise man, realmente a história é ruim, aquele casalzinho Glee é de chorar.

    Mas ainda assim, para os fãs do Rock anos 80 e 90 é imperdível. É uma pena que poderia ser realmente bem melhor do que o que foi apresentado.

    1. Fala Márcio!

      Pois é, potencial de sobra tinha, mas, uma vez mais desperdiçado. Se o casalzinho fosse realmente de Glee até que não seria tão ruim, pois a Rachel canta muito.

      Vale muito pela nostalgia mesmo, pelo carisma da personagem de Tom Cruise que ficou muito bom, não me surpreenderia se ele fosse indicado ao Globo de Ouro na categoria comédia/musical.

      Abraços.

Deixe seu comentário