Os Mercenários 2

Título Original- The Expendables 2
Título Nacional- Os Mercenários 2
Diretor- Simon West
Roteiro-Richard Wenk/Sylvester Stallone
Gênero– Ação
Ano- 2012

– Nem cabe mais no cartaz…

Imaginar que querem agregar no próximo Mercenários (sim, já estão planejando a continuação) Dwayne Johnson “The Rock”, Vin Diesel entre outros vão precisar conceber um tipo maior de cartaz, pois já nesse filme ficou complicado juntar tantos nomes. Falando sério, provavelmente alguns que tiveram maior destaque neste teriam sua participação reduzida ou não estariam mais presentes (Mickey Rourke, Jet Li). O que se pode afirmar é que Stallone conseguiu mais uma vez ressurgir com uma ideia desacreditada e fazer dela algo muito interessante e viável. Este Mercenários consegue superar o primeiro em tudo.

A história é a mais banal e previsível, apenas um pretexto para que tudo se desencadeie. O que importa aqui é como as coisas são dirigidas, o ritmo, e nisso a missão é completada a contento, não restam dúvidas. A participação maior de Bruce Willis (Church) e Arnold Schwarzenegger (Trench) dão mais peso e juntamente com Chuck Norris (Booker) o pacote fica completo.

O grupo está tentando pagar uma dívida com Church oriunda do primeiro longa e o que parecia ser uma missão fácil termina não saindo como planejado e um dos componentes mais novos do grupo termina por perder a vida, Bill The Kid (Liam Hemsworth). O responsável iria pagar muito caro por se meter com o grupo de matadores freelancer mais casca grossa do mundo, os Mercenários, mesmo que tal inimigo fosse Jean-Claude Van Damme (Villain, sim, VILLAIN! AHHA!).

A ação é desenfreada. O filme é relativamente curto, mas não deixa aquela má impressão de corrido. Ficou tudo bem ajustado dentro deste tempo e tudo corre de forma muito bem prevista. O ponto alto são os exageros, que começaram com Rambo IV. As armas tem um impacto bem mais realista do que costumamos ver normalmente. Os inimigos às vezes têm até membros separados do corpo por conta do impacto com os tiros, mas nada visceral ou apelativo. Até nisso houve acerto.

Um outro ponto muito relevante são os alívios cômicos. As entradas de Booker são hilárias e remetem a lenda criada pela internet de que nada pode deter Chuck. É impagável demais, sem falar da completa falta de expressão do Chuck. Demais!

O que se tem em Mercenários é uma homenagem, muito bem feita e sensível. O filme não tenta ser mais do que é, não de deslumbra com sua própria carga, pelo contrário, brinca consigo mesmo, se deixa levar pelo que o próprio tempo construiu e não vai de encontro a isso. Isso é muito bacana. As partes musicais são bem arranjadas e com ótimas entradas. Os pontos negativos ficam em sua maioria na própria direção, muitas falhas, pulos de cena altamente esquisitos (estão num lugar, no momento seguinte já estão no avião). E claro que não tem como ignorar as tosqueiras das atuações por mais risível que possa ser, e até proposital, o desconto é dado até certo ponto, mas sabemos que tudo está mais pela própria limitação técnica dos atores.

Ainda assim é uma pedida quase imperdível para os fãs do gênero de ação em sua essência, assim como para os saudosistas, que podem ver ícones de uma era, juntos, ao mesmo tempo!

Intensidade da força: 7,5

2 opiniões sobre “Os Mercenários 2”

  1. Para mim foi simplesmente SENSACIONAL, ficar se apegando em atuação e história é algo desnecessário aqui pois eles próprios não se levam à serio.

    Keep Calm and Chuck Norris.

    Pra mim um dos melhores do ano, e tenho dito hehehe.

    1. AHAHA! Boa Márcio! Também curti bastante o filme, mas não consigo me deixar levar muito pela empolgação quando outros aspectos ficam muito menosprezados.

      Abraços!

Deixe seu comentário