American Pie: O Reencontro

Título Original- American Reunion
Título Nacional- American Pie: O Reencontro
Diretor– Jon Hurwitz/Hayden Schlossberg
Roteiro- Adam Herz/Jon Hurwitz
Gênero- Comédia
Ano- 2012

– Reunião reeditada…

Pegaram características de cada um dos 3 primeiros American Pie e juntaram neste retorno da franquia com o elenco “clássico”, mesmo que tenha tido inúmeras outras versões que carregaram o mesmo título, mas nem tiveram a graça de sair para o cinema. O retorno do grupo de amigos Jim Levenstein (Jason Biggs), Oz (Chris Klein), Kevin (Thomas Ian Nicholas), Finch (Eddie Kaye Thomas) e claro, Steve Stifler (Seann William Scott), podia ter sido feito de outra maneira, mas não cabe aqui discutir como poderia ter sido, mas sim como foi, e o resultado deste retorno é bem fraco.

O que não deixa de ser uma surpresa, pois American Pie, muito embora tenha sido um marco de uma geração adolescente que hoje é adulta, nunca foi considerada uma boa obra. Porém, não há como negar que alavancou uma série de filmes no estilo “comédia juvenil” que até hoje perdura e inunda as sessões “mortas” dos canais de filmes das tv’s abertas e fechadas.

Depois de muitos anos sem se verem os amigos resolvem se reunir mais uma vez e relembrar um pouco como suas vidas se passaram até o presente, mais uma vez eles pretendem negligenciar a presença de Stifler só que, por um acaso de destino, ele se junta ao grupo mais uma vez, estragando os planos iniciais. Jim continua casado com Michelle (Alyson Hannigan), assim como Kevin, já os demais ou estão namorando ou solteiros. Finch parece ter sido o único a ter a vida que sempre sonhou e os demais tocam seus destinos da melhor forma possível.

As garotas também estarão lá, Vicky (Tara Reid), Heather (Mena Suvari) e até Nadia (Shannon Elizabeth) que fará uma ponta um tanto ridícula num determinado momento do longa. O que era para ter sido um reviver de sentimentos para muitos da época e a constatação do rito de passagem, se perde num roteiro que conta as mesmas piadas e mesmas situações dos três primeiros filmes, apenas com situações ainda mais embaraçosas e todos sendo apenas eles mesmos, não mostrando qualquer evolução durante este tempo passado.

Não que isso realmente não reflita a realidade dos atores envolvidos, nenhum dos protagonistas de American Pie decolou em suas carreiras, alguns tiveram breves momentos um tanto melhores como Alyson Hannigan, nos demais, nenhum realmente deu o passo adiante nas carreiras. O filme, de certa forma, também retrata este lado quando opta por mostrar os mesmos personagens fazendo as mesmas coisas que faziam no passado.

Tudo no longa foi feito de maneira desinteressante, buscando na apelação algum momento mais inspirado que nunca chega. O que poderia ter sido um refresco não passa de uma visão melancólica de todos os envolvidos e do que American Pie um dia representou ou pode vir a representar, uma pena, pois algum dos atores tem talento, mas parecem não ter feito as escolhas certas ao longo das suas carreiras.

Some-se a isso a opção de dar um tom romântico ao final, um tanto forçado e que foi de encontro a toda a proposta inicial apresentada de ser politicamente incorreto, dando a sensação de perdição do time técnico envolvido. O longa conta com um ou outro momento interessante e realmente divertido, no mais são aquelas risadas bobas, mas sem propósito, sem significado que vem, mas passam e não deixam sua marca e você nunca lembrará porquê gargalhou. Assim como fica a pergunta por que tiveram a ideia de refazer o longa.

Intensidade da força: 4,0

2 opiniões sobre “American Pie: O Reencontro”

  1. Concordo que o final estragou um pouco nessa questão, como você comentou, de ir contra com a proposta da franquia que é ser politicamente incorreto, fechando tudo de maneira “bonitinha”.

    Mas eu dou um nota maior do que apenas 4, Stifler vale todo o filme e entrega cenas bem divertidas.

    Acho que vale algumas risadas 🙂

    1. Grande Márcio! Tava sumidão. Eu vi sua resenha lá no porra man. Bem legal. Eu concordo com tudo que você escreveu, apenas não sou tão “bonzinho” quanto você.

      Na verdade eu dei 4 justamente por causa do Stifler e do pai do Jim. Fora isso nem teria levado esta nota. É um filme bem fraquinho no meu conceito e muitos dos atores não deveriam ter voltado com o espaço destacado para eles nesta produção. A exemplo do Kevin, Vicky, além do OZ e da Heather que, tirando o primeiro longa, nunca foram lá estas coisas dentro do contexto.

      É isso aí um grande abraço e valeu pela participação mais uma vez.

Deixe seu comentário