As Aventuras de Tintim

Título Original – The Adventures of Tintin
Título Nacional- As Aventuras de Tintim
Diretor– Steven Spielberg
Roteiro– Steven Moffat/Edgar Wright
Gênero– Animação/Aventura/Ação/Comédia
Ano– 2011

– Eternas aventuras…

Faz tempo que a personagem Tintim, criado pelo belga Herge, faz a alegria de muitas pessoas, sejam adultos ou crianças, pelo mundo. Agora, passados alguns anos desde que não se vê mais qualquer criação nova relativa à personagem é chegada a vez do cinema receber uma transposição só que bem mais estilizada e produzida, usando o recurso de captura de movimentos de altíssimo nível que contou com o dedo de Peter Jackson neste ponto.

É bem possível que nada supere Tintim nas premiações vindouras (Globo de Ouro já levou) quanto à qualidade da animação apresentada, realmente é algo marcante e num patamar muito acima de todo o resto mostrado no ano passado. Só este aspecto já coloca o longa num degrau acima e ajuda demais a alavancar as boas impressões deixadas.

O jovem Tintim é um jornalista jovem e intrépido que não deixa passar nada quando se depara com algo suspeito. É dessa forma que a sua nova aventura começa. Ele está passeando num mercado de rua e se depara com uma relíquia de um navio antigo e, atraído por ele, o compra de imediato, concomitantemente já desperta os olhares aguçados e traiçoeiros que já buscavam pela peça, mas até ali sem sucesso. Como Tintim chega primeiro termina se envolvendo num jogo de interesses do qual não deveria fazer parte inicialmente. Sua sede investigativa não conhece limites e ele não se deixa intimidar pelas ameaças sofridas repentinamente por ter adquirido o navio. Encara de frente e vai a fundo descobrir o que motivava tanta cobiça em outras pessoas.

É nessa constante busca que ele vai se inteirando mais e mais dos mistérios que circundavam a relíquia e descobre que um tesouro do passado estava em jogo, além de uma vingança de gerações de famílias inimigas. Em suas andanças ele dará de cara com o Capitão Haddock e descobrirá que ele é um dos descendentes envolvidos na disputa e que a armação pelo navio envolvia-o diretamente. Eles irão juntar forças a partir de então e, somado ao inseparável e esperto cãozinho Milu, (Snowy) eles farão de tudo para por um fim nos planos inescrupulosos de seu algoz, Skharine (Rackaham).

Um bom ritmo dita as ações e confere ao filme um desenvolvimento dinâmico e intenso. Para os fãs é quase certo que terão pouco do que reclamar. As figuras mais marcantes estão presentes e bem representadas, sem mudanças nas atitudes ou no que representam na história criada pelo autor original.

Como adaptação o longa ficou num patamar muito bom. Os problemas que afligem a obra são os mesmos da história original, muitas bobagens em certos momentos desafiam a própria didática que se tenta colocar (caça tesouros e investigação exigem cérebro e isto vai na contramão muitas vezes).

A trama para esta produção ficou bem bobinha e buscou realçar uma importância para Haddock e sua introdução, mas muitas vezes isso fica bem destoante, pois o tom pastelão é demasiado para o tipo de aventura que se quer contar. No fim das contas Tintim é uma obra feita para os fãs, mais do que para o público geral, muito embora agrade também a esta plateia.

Intensidade da força: 7,0

Deixe seu comentário