Planeta dos Macacos: A Origem

Título Original- Rise of the Planet of the Apes
Título Nacional- Planeta dos Macacos: A Origem
Diretor- Rupert Wyatt
Roteiro- Rick Jaffa/Amanda Silver
Gênero- Ficção/Drama/Ação
Ano- 2011

– Ascenção de um grande um filme…

Ninguém dava muita bola para esta produção até o começo deste ano, mas a medida que mais trailers, informações, entrevistas foram sendo liberados a atenção foi crescendo e chegou ao ápice com as pré-estreias para jornalistas e privilegiados que saíram falando muito bem das sessões. A partir de então uma onda avassaladora foi se formando e inundando todo o meio especializado, interessados em cinema que passaram a aguardar com ansiedade pela sua oportunidade de conferir o que tal obra tinha de tão bom. As coisas foram ficando mais e mais surpreendentes até mesmo para os realizadores que não esperavam tamanha aceitação e impacto. O resultado é que o longa é um dos mais comentados e elogiados do ano até agora e o Power Cinema traz suas impressões também.

A história tem um cunho científico bem interessante que gira em torno da busca pela cura para o Mal de Alzheimer e quem encabeça uma das pesquisas mais avançadas neste sentido é o Cientista Will Rodman (James Franco) que, neste caso, possui um interesse bem particular, pois seu pai Charles Rodman (John Lithgow) sofre do problema. As cobaias são os macacos, devido à semelhança genética com os humanos, o cérebro dos mesmos é o que mais pode se aproximar e apontar resultados mais conclusivos sobre a eficácia dos estudos. O ponto em que se apresenta a trama já está bem desenvolvido e os testes avançados ocorrem já em busca da aprovação final do conselho de investidores (crítica aos manda-chuvas do setor e a exploração a qualquer custo da medicina).

Os testes aparentemente falham, mas eles não percebem que a macaquinha cobaia estava apenas protegendo sua cria, Cesar, mas em virtude dos acontecimentos problemáticos os investidores ficam temerosos e interrompem qualquer evolução nos estudos e mandam sacrificar todos os macacos envolvidos no projeto. Com pena de sacrificar a pequenina cria, Will o adota e o leva para casa, no começo a contra-gosto, mas depois termina se envolvendo e criando afeto pelo bicho. O que ele não esperava era o desenvolvimento exponencial da inteligência do macaco. Animado e desesperado com os resultados aparentados, Will resolve testar em seu pai e o mesmo apresenta melhoras significativas e muito rápidas, porém o que o futuro reservava para aquela família não era nada bonito.

À medida que o tempo passa e Cesar se desenvolve a necessidade de ocultá-lo de outros humanos se vê cada vez mais necessária, ao mesmo tempo o jovem macaco quer interagir com outras pessoas e não consegue encontrar um local onde se encaixar. As coisas se complicam quando um acidente ocorre e o símio termina agredindo outra pessoa que estava maltratando o pai de Will e daí tudo irá mudar na vida de todos e até no mundo.

O grande ponto alto desta repaginada da história dos livros e dos filmes do passado está no novo enfoque dado à trama (agora menos ligada à política e mais envolvida com ameaças biológicas), porém sem deixar os debates atemporais (uso dos animais em pesquisas, preconceito com o novo, mercantilismo das indústrias farmacêuticas, entre outros) são aspectos fortes que são levantados, sem deixar que o enfoque se perca do excelente trabalho realizado com Cesar.

Em suma, Planeta dos Macacos: A origem é um dos grandes filmes do ano e, ao lado de X-Men, ele consegue agregar tudo que um grande filme deveria ter (ação, debate, carisma, envolvimento, boa apresentação técnica), não existem muitas arestas sem aparar e tudo é feito com muito apuro. O foco não se perde em nenhum instante e o ritmo do longa é muito intenso e envolvente, de fato uma grande produção e talvez tenha causado surpresa sua repercussão pelo fato de ser um filme relativamente denso, todavia a ação alivia a tensão e aproxima o grande público, talvez isto explique a maré favorável.

A verdade é que você fã de cinema ou que assiste apenas como entretenimento casual não pode deixar a oportunidade de conferir este excelente lançamento em cartaz.

Intensidade da força: 9,5

Deixe seu comentário