As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada

Título Original– The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader
Título Nacional- As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada
Diretor- Michael Apted
Roteiro- Christopher Markus/Stephen McFeely
Gênero- Aventura/Fantasia
Ano- 2010

– Adeus Nárnia…

Digam o que quiserem, esperneiem ao vento, tudo indica que o último filme da série dos contos das Crônicas da Nárina conheceu seu último capítulo. Uma pena, fato, mas com a recepção fraca deste último episódio é muito pouco provável que conheçamos mais histórias do livro nos cinemas. Este último já tinha sido um drama para ser realizado, com muito atrasos, muitas incertezas até que finalmente recebeu o sinal verde para ser filmado.

O resultado ficou bom, mas ainda pior que o segundo e o primeiro, talvez pelo orçamento mais enxuto disponibilizado algumas cenas ficaram muito mal compostas com efeitos pós produção muito escassos, deixando algumas coisas com aparência de não terminadas. Uma delas é o visual do navio Peregrino da Alvorada. Certas tomadas da embarcação durante a exibição são de doer de tão mal trabalhadas pela equipe técnica, aquele aspecto de “backstage” fica muito evidente o que afeta demais a impressão com o longa.

A história dessa vez gira em torno de apenas dois dos irmãos Penvisie, são eles Edmund (Skandar Keynes) e Lucy (Georgie Henley), os outros dois são Peter (William Moseley) e Susan (Anna Popplewell). O primo deles, Eustace Scrubb (Will Poulter), se junta a aventura, aparentemente por acidente, mas nada em Nárnia é por acidente. Eles dessa vez irão fazer parte da tripulação do navio Peregrino da Alvorada que liderado pelo princípe Caspian (Ben Barnes) está em busca da solução de um mistério que aflige o reino sob a sua liderança. Existem problemas com alguns Lordes do reino e eles pedem ajuda e então Caspian vai ao seu encontro, porém quando se depara com a situação ela já está crítica, uma força do mal está assolando o reino e aterrorizando os povos. Os lordes então tentam se unir para acabar com isso, mas somem sem maiores explicações na missão.

Os jovens então terão que lutar para descobrir como impedir que esta força maligna continue a espalhar o pânico pela população. Esta será a missão de todos e o desafio não será nada fácil. No começo o jovem Eustáquio será um grande problema, mas ele aprenderá que Nárnia é um lugar especial em que tudo pode acontecer. Na verdade este é o segundo conto do livro que como filme é o terceiro, tanto que se justificam alguns dilemas aqui presentes como a vontade de Edmund de ser melhor que o irmão (coisa que no terceiro já está bem atenuada) e a jovem Lucy querendo ser como sua irmã mais velha. Se for analisar isto friamente as incongruências com o segundo filme: Princípe Caspian ficam ainda mais escancaradas. Apesar disso não é algo que irá atrapalhar ou estragar o longa, mas que aborrece a crítica e alguns fãs mais ardorosos. Talvez por isso a recepção tão ruim nas bilheterias.

Particularmente sou um fã da série nos cinemas, sempre achei melhor que Harry Potter, mas não posso falar isso deste último. Apesar de ser mais divertido, mas cativante que as histórias do bruxo, como filme está bem aquém deste último Harry Potter. Ainda que a produção tenha ficado boa, os cortes prejudicaram demais um melhor trabalho da equipe técnica. O longa ficou corrido, bem menor que os dois anteriores (150 min para Caspian e 143 para primeiro), e isso contribuiu contra, pois muitas pontas foram deixadas de lado. O fato da história ter sido feita fora da ordem original prejudicou o enredo dos eventos, isso somado ao tempo curto só ajudou a deixar as perguntas sem respostas.

Quem são os Lordes e qual a importância deles no reino de Caspian? Qual a origem da névoa e porque ela está atacando? Estas são coisas básicas que foram simplesmente ignoradas e acabaram por prejudicar o resultado final. Contudo, estes problemas não são suficientes para apagar todo o encanto que o universo de Nárnia causa e o filme ainda sim merece sua chance de ser visto por aqueles que leram as história, bem como, por quem gosta de aventuras fantásticas, aliado ao fato desse provavelmente ter sido o último da série seria um pecado deixar de conferir.

Intensidade da força: 7,0

2 opiniões sobre “As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada”

  1. achei os outros dois medianos, tipo de filme que vale a pena ver, mas pelo menos pra mim não faz muita diferença.

    Agora esse sendo aparentemente o pior deles, acho que não vou gostar muito então. Vou ver assim mesmo.

    1. O filme é melhor que o segundo como aventura Ero, mas é pior tecnicamente, por isso terminei colocando ele abaixo. Os defeitos do filme infelizmente afetaram sobremaneira a produção. Essa foi minha opinião.

Deixe seu comentário