Um parto de viagem

Título Original- Due Date
Título Nacional- Um parto de viagem
Diretor– Todd Phillips
Roteiro– Alan R. Cohen/Alan Freedland
Gênero- Comédia
Ano– 2010

– Louca viagem…

O que pode acontecer quando se mistura o diretor da melhor comédia do ano anterior (Se Beber Não Case) com um dos astros de maior destaque no momento (Robert Downey Jr.- Iron man) e o ator mais louco daquele mesmo filme de 2009 (Zach Galifianakis)? Algo muito estranho, com certeza. É isso que acontece neste longa que estreou recentemente no Brasil. Com vários elementos semelhantes de seu irmão primogênito, Um parto de viagem consegue manter o tom escrachado, despreendido do politicamente correto e, ainda que não consiga manter o nível de excelência do seu referencial, consegue entreter com um ótimo nível por quase toda sua duração.

A história não podia ser mais insana. Peter Highman (Robert Downey Jr.) é o típico executivo moderno, bem sucedido, muito atarefado, muitas responsabilidades e um ego do tamanho do mundo, mas administra tudo isso com equilíbrio desde que se mantenha distante de situações extremas que podem fazê-lo perder o controle do emocional. É numa situação mundana (um acidente com sua mala na descida para o aeroporto) que ele conhece Ethan Tremblay (Zach Galifianakis) que já se mostra ser o oposto de Peter. Um cara sem muitas preocupações, com sonhos a perseguir, mas sem a pressão que o outro carrega. Os dois estão indo para o mesmo voô, mas por motivos diferentes. O primeiro vai acompanhar o nascimento do seu primeiro filho, enquanto Ethan está indo tentar a sorte em Hollywood.

Ainda sem saber o que lhe aguardava Downey Jr. se aconchega em sua cadeira, porém é logo surpreendido por Tremblay que já começa mais uma discussão sem sentido, daquelas que você não está fazendo nada, mas a pessoa insiste em dizer que você deve se acalmar e tudo mais. Se alguém já passou por isso deve saber como é desagradável. É a partir de então que o pesadelo de Peter vai começar. Ele é proibido de voar por conta dessa confusão no interior do avião e por outras circunstâncias termina sendo forçado a viajar com Ethan. O parto será sofrido, doloroso e trará momentos de reflexão para ambas as personagens envolvidas.

Enquanto viajam eles se envolvem nas mais loucas confusões, sempre causadas por Ethan. Peter tenta conduzir aquilo com um pouco de calma no começo, mas logo perde as estribeiras e enlouquece assim como seu parceiro e é nesse momento que ele percebe a fragilidade e carência do seu companheiro e se desenvolve um estranho laço entre eles. O curioso em Um Parto de viagem é justamente isso. O filme conta com situações extremamente engraçadas e desconcertantes, mas contrabalança isso com algum sentido na história, quando entra mais fundo nas motivações de Ethan que, a princípio, parecem totalmente sem propósito.

A qualidade do humor é mais voltada para o politicamente incorreto, com piadas preconceituosas em muitos instantes, mas que servem apenas para rir, porém podem incomodar os mais sensíveis, sem falar nas situações totalmente desproporcionais como na cena que Ethan está fumando maconha e Peter tem que ficar com os filhos da vendedora, ou mesmo quando estão na caminhonete, na rápida participação de Jamie Foxx (Darryl).

O filme não consegue manter aquela sucessão de eventos criativos presentes em Se beber não case, mas ainda assim proporciona momentos excelentes e impagáveis, muitos deles em virtude da personagem de Zach, porém os destemperos de Downey Jr também rendem ótimos frutos. É uma ótima opção para se divertir pura e simplesmente sem se preocupar muito com outros aspectos da produção cinematográfica. As atuações estão bem ajustadas e o filme é bem conduzido, com uma ou outra exagerada desnecessária, mas fora isso proporcionará um entretenimento raro no gênero nos dias atuais.

Intensidade da Força: 7,5

Deixe seu comentário