Meu malvado favorito

Título Original- Despicable Me
Título Nacional- Meu malvado favorito
Diretor- Pierre Coffin/Chris Renaud
Roteiro- Ken Daurio/Sergio Pablos
Gênero- Animação/Comédia
Ano- 2010

– Uma grata surpresa…

Do momento em que assisti o trailer de Meu malvado favorito eu me propus a ir assistir o filme assim que chegasse a nossas terras. Ele chegou. Eu fui ver em 3D já um pouco abalado por pagar mais por artifício que sabia ser mais cosmético do que outra coisa e realmente foi, contudo o longa é tão bom, mas tão bom que mesmo tendo feito esse “gasto” a mais isso se tornou um investimento no final das contas, tamanha diversão me foi proporcionada no tempo que assisti as loucuras e piadas mais insanas que já tive oportunidade de presenciar numa animação desde Os Incríveis da imbatível Pixar. O filme com o logo da Universal traz uma novidade refrescante ao dominado mundo da animação e essa participação, mesmo contando com nomes gabaritados na produção, foi muito bem concebida nesse seu “debut“.

O Dr. Gru é um sujeito diferente, na verdade ele é um vilão. Um dos maus! Um dos grandes! Ou assim ele gostaria de ser. Ele sempre tentou assustar o mundo com suas peripécias, mas nunca foi muito bem sucedido nos seus intentos. A verdade é que agora ele acredita ter o plano mais “diabólico” de todos! Ele vai roubar a Lua! Antes ele precisa dar uma passadinha no banco, pois os fundos da “organização” estão baixos. Logo nessa cena há uma bela sacada quanto ao “Banco do Mal” que remonta aos “insights” muito usados nas produções da Pixar. O longa é uma sucessão de referências criativas a desenhos a lá Tom & Jerry, Piu-Piu e Frajola, pois as cenas de piada são constantes e um tanto surpreendentes e exageradas, mas daquela forma bem pastelão que nos fazem lembrar das animações mais antigas.

O problema é que Gru está ficando velho e agora tem a concorrência de alguém mais jovem, o Vetor. Ele vinha roubando a cena e por isso estava difícil para Gru conseguir o empréstimo bancário para financiar sua empreitada. Ao se encontrar com o Vetor os dois terminam não se dando muito bem e este passa a querer atrapalhar os planos de Gru. Agora será preciso uma ajuda de onde ele menos imaginaria. As crianças Margo, Edith e Agnes são órfãs e nunca tiveram sorte em conseguir um lar, mas agora vão encontrar, nunca imaginando que a proposta viria de um lugar tão inimaginável. Num primeiro momento é possível ter um fio de desesperança quanto ao ingresso das pequeninas na vida de Gru, porém, com o decorrer da trama isso se mostra totalmente infundado e elas na verdade trazem ainda mais graça com aquele toque de carinho que vai se intensificando até o final.

É graças a elas que o plano de Gru irá conseguir algum êxito e também permitirá que ele aprenda algo sobre cuidar das pessoas e sobre o amor. Os eventos são tão bem construídos e conduzidos que são uma aula para muitas comédias românticas imbecis que se amontoam por aí. A relação entre eles vai sendo fiada pouco a pouco e não num determinado momento agudo e impensável. É muito bacana, apesar da previsibilidade extrema. A personagem de Gru é de uma empatia imediata com quem assiste devido ao seu jeito sarcástico e insensível com tudo, mesmo ao final tendo ficado um pouco mais “mole” a essência dele não muda de fato. O que é um ótimo caminho optado pela produção.

A animação tem um tom muito alegre e divertidíssimo, com piadas intensas e muito bem sacadas a cada minuto. O filme é uma sucessão de risos que há muito não se via no gênero. Ele representa um gênero que a Dreamworks encabeçava, mas que recentemente perdeu a mão. Os “meninos” (ajudantes de Gru) são impagáveis e outra grande fonte de riso. As próprias crianças, em especial Agnes, são altamente divertidas também. Ainda que não consiga trazer aquele carisma, nível de emoção e ligação que representa as produções Pixar, Despicable Me é a melhor animação do ano em minha opinião. O nível é altíssimo e a bilheteria forte vem provando isso, apesar de não estar no embalo de Toy Story 3 ou mesmoShrek 4. O filme está muito bem e com certeza conhecerá continuações e eu agradeço por isso, pois ri horrores no cinema com esse filme, até chorar! Demais!!!

Intensidade da força: 9,0

4 opiniões sobre “Meu malvado favorito”

  1. Tenho que concordar com Reiner, principalmente depois deste texto do Bill. Estou completamente convencido que devo assistir este filme.

    Ah! Parabéns pelo site!

    1. Então agilize Robson porque o filme deve estar já encerrando sua temporada nos cinemas daqui de SSA. Abraços e valeu pela participação.

Deixe seu comentário