Esquadrão Classe A

Título Original- A-Team
Título Nacional- Esquadrão Classe A
Diretor- Joe Carnahan
Roteiro- Joe Carnahan/Brian Bloom
Gênero- Ação
Ano- 2010

– Diversão classe A…

Inspirado na série de Tv da década de 80 estreou no Brasil o filme Esquadrão Classe A que conta a história de um time composto por 4 homens que realizam as mais arriscadas missões da forma mais louca possível. O seriado fez muito sucesso no seu tempo, pena não ter muitas lembranças do mesmo a exceção do velho e bom B.A interpretado por Mr. T. Esse longa conta uma história de origem do time que no seriado já estava formado e agindo como uma espécie de esquadrão mercenário nas mais diversas e loucas missões que lhe fossem dadas. A história começa aqui com Hannibal (Liam Neeson) e Faceman (Bradley Cooper) numa missão no deserto mexicano na qual eles terminam conhecendo os outros dois sujeitos que irão fechar a composição do que seria futuramente o Esquadrão Classe A. Eles são B.A. Baracus (Quinton ‘Rampage’ Jackson) e o louco Murdock (Sharlto Copley). Em circunstância para lá de malucas eles se encontram e decidem se juntar para não mais deixarem uns aos outros.

Após os incidentes iniciais o filme já avança 8 anos e aquele time formado emergencialmente na missão do México é totalmente reintegrado ao exército (todos haviam sido Rangers) americano e já gozam de grande prestígio entre seus pares pelo sucesso nas missões que desempenhavam. O momento é da Guerra do Iraque e surge a notícia de que os inimigos estão com as barras mestras para produção de moeda americana e tais barras tinham que ser resgatadas. Hannibal não resiste à notícia e mesmo contra a ordem de seu superior, o General Morrinson (Gerald McRaney) eles partem para cumprir o objetivo. No final da missão eles são emboscados e as coisas a partir de então se complicam para o time.

Os combatentes então são julgados e perdem suas patentes além de terem que cumprir pena nas cadeias destinadas para criminosos do exército. É nesse momento que o Agente Lynch (Patrick Wilson) da CIA os oferece a chance de tentar resolver o mistério que envolvia aquele incidente. É então que mais uma vez Hannibal se organiza para reunir seus companheiros e partir de mais uma louca missão, agora para resgatar a honra do time, bem como desvendar o que realmente estava por trás da emboscada.

O filme conta com ação frenética, cenas impensáveis, no estilo James Bond, Missão Impossível e O Procurado, mas com muito mais pirotecnias e exageros. O ponto alto da produção é justamente; a magnitude de todos os acontecimentos que envolvem o esquadrão. É tudo muito louco e sem noção, de forma proposital mesmo, então o espectador só se prende a realidade se quiser. O principal é desligar o cérebro e curtir as impossibilidades geniais das cenas que envolvem Esquadrão classe A. A grande maioria das sequências é muito bem produzida e dirigida e mesmo sabendo que tudo aquilo não passa de uma grande farsa, a diversão está em saber até onde a criatividade da equipe de roteiro pode alcançar em termos de insanidade.

É claro que tudo isso é acompanhado de uma lógica mínima. Os eventos têm uma sequência. Há um roteiro e ele é bem desenvolvido, dentro da proposta do longa. As cenas seguem a linha de serem explicadas à medida que se desenvolvem o que dá uma sensação para quem assiste de estar vivenciando os eventos discutidos nos “briefings” antes dos combatentes partirem para a luta. Ainda que existam alguns escorregões no roteiro, tipo, como eles conseguem todo o aparato grandioso para realizarem os planos, sendo que são fugitivos federais? São perguntas totalmente esquecidas que apesar do estilo alucinado da produção passam um pouco da medida do razoável, ainda assim não se trata de algo que tira a qualidade muito boa do filme em geral.

Outro aspecto a ser salientado é o tom extremamente divertido dado à obra, tudo é sempre muito descontraído, com altas doses de humor, em sua maioria protagonizados por B.A e Murdock. B.A por sinal faz muito bem seu papel e até surpreende dentro da idéia que tem que cumprir, enquanto os 3 demais estão num patamar à parte. Cara-de-Pau (Faceman), Murdock e Hannibal são um show a parte, especialmente Faceman e Murdock. O primeiro pelo jeitão conquistador, mas irreverente a todo instante e desleixado e o último por ser um completo louco! Quanto a Hannibal é natural que Liam Neeson se destaque, mas aqui ele consegue balancear a seriedade do líder do time com a irreverência e descontração que são marca registrada dos seus subordinados.

Tudo é muito afiado em Esquadrão Classe A. A exceção fica por conta da Agente do FBI Charisa Sosa (Jessica Biel) que além de ser péssima atriz, empresta o desempenho a uma personagem insuportável e totalmente desajustada com o resto. A culpa maior é dela mesmo pela falta de talento já que os vilões, entre eles o chefe do time Florestra Negra, Pike (Brian Bloom), estão ótimos em suas interpretações.

Então é isso galera. Se quiserem ter a chance de assistir a um filme diferente, do gênero ação e que talvez seja uma bela alternativa e escapatória para o renascimento do estilo, Esquadrão Classe A é a aposta ideal. Apenas saiba o que esperar do filme (muita ação, comédia e pirotecnia) que você não irá se decepcionar um só instante e terá alguns momentos de diversão a valer na cadeira do cinema.

Intensidade da Força: 8,5

Deixe seu comentário