Como Treinar seu Dragão

Título Original- How to Train Your Dragon
Título Nacional- Como Treinar seu Dragão
Diretor- Dean DeBlois/Chris Sanders
Roteiro- Cressida Cowell/Dean DeBlois
Gênero– Animação/Comédia
Ano- 2010

– A Dreamworks está aprendendo?

Depois de alguns anos sendo derrotada pela Pixar no setor das animações parece que a Dreamworks está tentando reformular um pouco o jeito de suas animações. Notabilizada pela série Shrek a Dreamworks perdeu um pouco a mão de uns tempos para cá sendo costumeiramente engolida pela rival Pixar quando se trata de animação. Sempre buscando um estilo mais bobo e despretensioso a Dreamworks foi perdendo a mão a cada nova produção com repetição de estilos e formas de contar as mesmas piadas, às vezes com as mesmas falas apenas mudando o cenário dos eventos. Dessa vez, porém o que se pode ver é um filme que consegue capturar em alguns momentos aqueles mesmos sentimentos de carisma, carinho, ingenuidade que tanto notabilizam as produções da Pixar, mas sem perder o jeito Dreamworks com as piadas mais pastelão e o jeito um pouco mais abobado, sem tantas insinuações como nas produções da rival.

Aqui temos a história de Soluço um jovem viking que sonha em matar seu primeiro dragão como todo viking de respeito tem que fazer quando chega em determinada idade. A questão que sobressai é que Soluço não tem o mesmo “talento” que os demais colegas, o que mais para frente se revelará ser algo muito mais profundo. Ainda assim ele quer de todo jeito impressionar seu pai e toda a vila para que não seja mais piada perante todos. Num dia típico na sua ilha mais um ataque dos dragões está acontecendo e todos estão lutando e se defendendo como podem contra os inimigos, muitas explosões e destruição acontecem e Soluço quer de alguma forma conseguir derrubar seu primeiro dragão em meio a toda aquela confusão. Ele então consegue uma brecha e ataca um dos bichos com sua arma que lança uma espécie de corda e consegue atingir algo. Todavia, ninguém dá bola e pensam que é mais uma história de Soluço.

Ele tinha certeza do que tinha acertado e vai até a mata conferir se a presa ainda estaria lá e para sua surpresa está e para melhorar (ou piorar) nada mais é se não o Fúria da Noite, considerado o dragão mais perigoso dentre todos os catalogados pelos estudiosos vikings e que quase nada se sabia pela dificuldade de se deparar com um. Assustado ele tenta matar o bicho, mas desiste e o liberta. Depois de alguns momentos de tensão o dragão foge deixando Soluço atordoado ainda pelo susto do encontro. Dias depois ele retorna ao mesmo lugar e ao seguir rastros termina se deparando com o Fúria da Noite mais uma vez, mas ele estava sem conseguir sair de uma espécie de depressão, pois sua cauda tinha sido machucada na queda e ele perdera um pedaço dela o que impossibilita ele voar corretamente.

A vila se prepara para ir em busca do ninho dos dragões, sob a liderança do pai de Soluço que o deixa sob os cuidados de Gobber um simpático ferreiro. Ele também seria encarregado de treinar os jovens vikings na “arte de matar dragões”. Hesitante, Soluço é forçado a entrar no treinamento, mas sempre escapulia para encontrar o Fúria da Noite que agora parecia menos hostil à sua presença. Essa relação se intensifica e eles se tornam amigos a ponto de se descobrir que os dragões não atacavam os Vikings por vontade própria de destruir, mas por outro motivo que se revelará mais a frente durante a trama.

O que importa dizer aqui é que a Dreamworks conseguiu. Finalmente realizou um filme de animação digno, sem deixar cair na idiotice e imbecilidade de outras produções recentes da empresa que prezavam por piadas repetitivas e pouco inspiradas e em situações constrangedoras para fazer rir. Buscando uma produção mais encorpada, com algo mais a agregar sem ser simplesmente fazer rir, Como Treinar seu Dragão é a típica animação infantil que tenta passar valores às crianças como amizade, respeito às diferenças das pessoas, não julgar pela capa e outras coisas que mesmo que não compreendidas na sua totalidade pelos pequeninos deixam sua marca pela impressão visual e terminam passando a mensagem de bons valores aos jovenzinhos.

A torcida fica agora para que a empresa continue na mesma linha nas suas próximas obras, não desejo que a Dreamworks perca sua identidade e se torne uma segunda Pixar, mas sim que consiga agregar algo com suas produções, assim como a Pixar sempre busca fazer, tente ousar e não fique repetindo a mesma fórmula que gera muito sucesso, mas não marca a mente das pessoas nem deixa nada de útil com sua passagem. Esse ano começa com o pé direito para as animações e mesmo que Como Treinar seu Dragão não seja um hit de bilheteria, a sua mensagem e sua repercussão são vitórias e muito mais impressivas e importantes do que a simples arrecadação de mais e mais dólares pelo estúdio.

Intensidade da força: 8,0

2 opiniões sobre “Como Treinar seu Dragão”

  1. Primeiramente obrigado por postar! É bom ver que aos poucos mais e mais pessoas estão se animando a deixar um pouco o que pensam nos filmes.

    Eu considero essa animação como um grande momento da Dreamworks em anos! Talvez seja o filme mais ousado da empresa e acredito que eles terão a coragem de se manter nessa toada.

    Com a chegada do último Shrek, que infelizmente se apresenta como um retrocesso, a Dreamworks me parece que vai tentar seguir uma linha mais completa com suas produções.

    Acho que todos agradecemos por isso e torcemos para que assim seja. Obrigado mais uma vez e volte sempre.

  2. Gostei muito do post e posso dizer, com toda a certeza, de que Como Treinar seu Dragão foi o filme que mais me marcou entre todos os filmes que eu já assisti na vida. Os personagens, as lições de vida, a emoção, o sentimento, enfim, o filme todo me marcou de uma forma que nenhum filme nunca tinha me marcado antes. Perfeito!

Deixe seu comentário