Brüno

Título Orignal -Brüno
Título Nacional– Brüno
Diretor– Larry Charles
Roteiro– Sacha Baron Cohen/Anthony Hines
Gênero– Comédia
Ano-2009
– Não é para todo mundo…
O tipo de comédia tratada em Brüno, novo filme/documentário de Sacha Baron Cohen, não é indicado para todo tipo de público que curte comédias. Politicamente incorreto ao extremo, o estilo de piadas que é retratado no filme é mais pesado do que em Borat (filme anterior de mesma linha do ator). Agora Sacha é Brüno um jovem de 19 anos que quer alcançar o estrelato mundial a todo custo e não medirá esforços para tanto.
A forma como Sacha trata as situações continua na mesma linha de Borat, mas dessa vez pelo fato do personagem principal ser um gay as coisas ficam ainda mais drásticas, com diretos a pênis na tela durante certos momentos, coisa que não irão aprazer a todos, não resta dúvida. Nem tudo em Brüno, porém, é vazio ou se resume a apenas fazer comédia de forma grotesca em alguns momentos. Há insinuações em muitos momentos e mensagens que ganham ainda mais importância por serem retratos de como as pessoas costumam se comportar perante determinados momentos.
Dessa vez Sacha não mediu limites em suas brincadeiras, provavelmente porque já imagina que a coisa não irá ser fácil para ele conseguir fazer outro filme neste estilo. Aqui ele já teve de fazer várias mudanças de visual para conseguir enganar as pessoas mais uma vez, mas já nota-se que as situações já não duram mais tanto tempo quanto em Borat. As pessoas sacam mais rápido as brincadeiras, ainda assim existem momentos de “lerdeza” protagonizado por certos indivíduos.
Um dos exemplos mais emblemáticos disso são as cenas com as entrevistas com pais e mães para testes com bebês em comerciais, assim como quando está num acampamento com outras figuras para caçar. Nas demais situações a coisa se deteriora mais depressa, talvez por causa do tipo de personagem interpretado ser muito exagerado e isso causa uma percepção mais rápida por parte de alguns. Mesmo assim as pegadinhas acontecem e são, em sua maioria, hilárias ao extremo.
As partes que remetem uma reflexão estão presentes como quando na cena da entrevista com os pais dos bebês, a cena do hotel quando ele está algemado com o companheiro na cama, mas por incrível que pareça a intolerância é um pouco menor neste filme do que em Borat, as pessoas se expõem menos com relação as suas atitudes, muito em virtude do fato de Brüno ser muito espalhafatoso, isso mais compromete do que ajuda numa possível enganação. Borat era um cara mais verossímil, por isso conseguia expor mais facilmente os pensamentos dos outros.
O que Sacha realizou com estes dois filmes foi um estilo que só ele consegue fazer com qualidade. O documentário-comédia, não existe outros representantes nesse sentido dignos de alguma atenção, até porque Sacha se preocupa em não ser somente idiota, mas em agregar algo nas suas brincadeiras quase sempre. O filme é muito divertido, mas força um pouco em determinados momentos o que pode assustar pessoas mais puritanas, por isso cuidado ao se aventurar em assistir Brüno. O que se tem é uma versão anabolizada de Borat nas piadas e situações constrangedoras, espantando ainda mais uma boa parte do público. Sabendo desses detalhes assista que você irá se divertir horrores.
Intensidade da força: 7,5

Deixe seu comentário