A Proposta

Título Original– The Proposal
Título Nacional- A Proposta
Diretor- Anne Fletcher
Roteiro- Peter Chiarelli
Gênero- Comédia/Romance
Ano-2009
– Essa proposta é das boas!
Mesmo com todos os contratempos que acompanham filmes de comédia romântica (roteiros previsíveis que doem, momentos clichê de fazer vomitar até uma criancinha de 5 anos, melodramas sofríveis) A Proposta é a prova de que é possível fazer um bom filme no gênero minimizando os aspectos ruins e maximizando os bons até o limite. Essa é a grande virtude desse filme que conta com Sandra Bullock (magérrima e bem bonita) e Ryan Reynolds (no traço absurdo). O filme foge ao estereótipo básico da maioria dos representantes ao mostrar uma história bacaninha, mas principalmente, por nunca deixar o bom humor de lado durante a exibição.
O filme apresenta Margaret Tate (Sandra Bullock) como uma editora-chefe de renomada empresa do ramo literário que remonta a outra personagem de outro longa (Miranda Priestly de O Diabo Veste Prada) por sua semelhança na atitude fria (cruel em certos momentos) com funcionários, sem falar a dedicação exarcebada ao seu trabalho, contudo as semelhanças entre os personagens morrem aí saberemos o porquê mais adiante. Fazendo às vezes de Andrea está Andrew Paxton (Ryan Reynolds), apesar de ser espezinhado pela chefa as semelhanças com Andrea acabam por aí. O começo do filme mostra que não se trata de uma simples comédia romântica, mas a questão estava em até quanto tempo o nível inicial iria perdurar? Durará até o fim do filme.
Margaret se apresenta em mais um dia de trabalho na empresa e todos já vão se esgueirando com maior medo da chefa enquanto ela vai passando (as mensagens no chat são hilárias, inclusive com os sonzinhos! Muito bom!). O pobre Andrew já tem problemas quando derrama o café de sua chefa e mal sabia ele que aquilo seria apenas o começo. Depois de despedir um funcionário e quebrar o maior pau Margaret é convidada à sala dos chefes para uma conversa, lá então ela descobre que seu visto de permanência nos EUA fora rejeitado e que ela teria que abandonar o país por 1 ano e que o funcionário que ela acabara de despedir ocuparia seu lugar. Desesperada com a situação ela vê em Andrew a saída para a sua situação; um casamento de fachada para assim permanecer no país.
Andrew fica assustado e confuso no começo com tal proposta tão repentina, mas depois da entrevista com o agente da imigração ele vê a oportunidade na situação e resolve tirar proveito da melhor forma. Daí em diante o filme se desenrola, mas não é algo estático e preso às amarras comuns a filmes de comédia romântica, mas sim um desenvolvimento bem cadenciado que conduz ao final feliz esperado em todo filme do gênero. Há toda uma interação familiar que vai construindo em Margaret sentimentos outrora esquecidos por ela e isso vai construindo uma certa ligação entre o casal principal.
Curioso comentar que apesar das aparências semelhantes aos personagens de O Diabo Veste Prada, em A Proposta a semelhança não é imitação. Tanto Margaret como Andrew não são como Miranda e Andrea. Eles tem realidades diferentes, comportamentos diferentes e motivações diferentes para agirem como fazem no filme e isso também ajuda a elevar o nível da trama, valorizando o trabalho do roteirista que não se deixou levar pela falta de criatividade. Outra coisa muito boa é que o “par romântico”, na verdade não fica morrendo de amores um pelo outro até o final. Eles vão descobrindo coisas um do outro e se afeiçoando, apesar da expressão “eu te amo” estar presente não é naquele tom exagerado e surrealista a que comumente se vê sendo utilizando neste tipo de filme. A famosa química é dada na medida, justamente por causa do enfoque realista que se busca tratar a relação dos dois.
A parte técnica do filme está muito boa no geral. As cenas são bem dirigidas. Os personagens sabem o que fazer durante as tomadas, isso mostra a boa mão do diretor. O roteiro está bem afinado e creio ser difícil se conseguir fazer melhor com algo tão “formuláico” como é o gênero de comédia romântica. Até mesmo os clássicos momentos de decepção com o grande amor estão ausentes do longa, adotando-se uma posição diferente para tal situação. Em geral o nível é muito alto em A Proposta. A interpretação de Ryan Reynolds é altíssima durante todo o filme. A primeira cena é antológica e mata qualquer um de rir e ele o faz apenas com expressões faciais, mostrando que é um bom ator mesmo. Sandra Bullock não convence como chefa durona que, entretanto é uma pessoa amável, porém apenas endurecida por acontecimentos difíceis em sua vida, mas nem isso é capaz de ofuscar o brilho dessa produção surpreendente. Assistir esse filme com seu par será sem dúvida muito bom para qualquer relacionamento. Não percam!
Intensidade da Força: 8,0

Deixe seu comentário