O Curioso Caso de Benjamin Button

Título Original- The Curious Case of Benjamin Button
Título Nacional- O Curioso Caso de Benjamin Button
Diretor- David Fincher
Roteiro- Eric Roth
Gênero– Drama/Romance
Ano- 2008

– Curioso e Cativante…

Uma proposta diferente cerca esse longa, sem dúvidas a história de um homem que nasce velho e com o tempo vai rejuvenescendo apresenta uma nova forma de se ver os fatos da vida. Não me recordo de já ter sido feito da forma como este filme apresenta. Um homem que nasce como um bebê velho e cresce bem velhinho sem conseguir enxergar direito, nem andar por ter problemas de artrite e catarata é algo bastante intrigante e “curioso”!

Neste contexto nos é apresentado este filme de David Fincher (Seven, Clube da Luta e outros) diretor de poucos filmes, mas com trabalhos que já o colocam no panteão de grandes diretores da atualidade. Reprisando a escolha de outras ocasiões, neste filme ele traz Brad Pitt (Benjamin) mais uma vez como protagonista de um filme de sua direção e, coincidentemente, Brad realiza um bom trabalho como sempre aconteceu em filmes dirigidos por David. Por que será que tão estranha coincidência sempre ocorre?

O fato é que não se trata de um trabalho impressionante de Brad Pitt como ator, mas é uma atuação acima da média para as que ele costuma fazer e é bom se notar o ator fazendo trabalhos mais encorpados e com um cunho mais “produtivo” do que o normal que ele faz. Bom até para a “rivalidade” caseira com sua esposa, Angelina Jolie, que volta e meio está em bons papéis.

Neste longa o que se busca tratar basicamente é que não importa como vivamos a vida, mas que a aproveitemos da forma mais intensa possível, pois nada dura para sempre e em sua efemeridade característica muitas vezes não nos damos conta da passagem do tempo e perdemos o “bonde” da história da vida de cada um de nós. Nesse contexto a lição passada pelo filme é belíssima e cativante. Benjamin é uma pessoa única não só por sua questão própria de nascença, bem como pela forma que encara os acontecimentos que se passam em sua vida, nunca desistindo, sempre dando um passo à frente sem olhar para trás e procurando viver tudo com a maior intensidade possível, sem deixar de sempre tentar realizar seus sonhos da melhor forma possível.

O filme é longo, mas a história é muito bem contada, com um roteiro bem amarrado e bem construído. Não se presenciam momentos de queda com situações arrastadas, como se é comum neste tipo de filme, isso faz com que não se tenha a sensação de tédio, mas o desejo de saber como tudo aquilo irá terminar, como Benjamin irá lidar com os desafios que sempre se apresentam. Será que viver rejuvenescendo é tão bom quanto se imagina? Pela forma que o filme apresenta os fatos fica afirmado que não, inclusive a frustração é maior até do que se ver envelhecendo. Uma forma muito bonita e inteligente encontrada para se contar tais eventos.

A direção é ótima como sempre, David Fincher é um cara criativo demais e sempre busca contar histórias interessantes que fujam do trivial sem deixar cair na armadilha do óbvio. Além do caso que dá título ao filme ainda se conta com um romance muito bem construído e realista (não foge dos problemas) em que Cate Blanchett (Daisy) é o grande amor da vida de Benjamin. Some-se a isso um show de efeitos visuais e maquiagem que provavelmente renderá ao filme o Oscar nestes dois quesitos. Tudo é muito bem construído e articulado e por conta de tantos pontos positivos é que O Curioso Caso de Benjamin Button é uma pedida imperdível, pois agrega uma mensagem sem ser enfadonho ou pesado demais. Um filme recomendadíssimo!

Intensidade da força: 9,0

Deixe seu comentário