Carga Explosiva 3

Título Original- The Transporter 3
Título Nacional– Carga Explosiva 3
Diretor– Olivier Megaton
Roteiro- Luc Bensson/Robert Mark Kamen
Gênero- Ação
Ano- 2008

-Sem nenhuma pretensão…

É essa sensação passada por Carga Explosiva 3, filme de ação que conta com Jason Statham (Frank Martin) de volta nesse série que chega ao seu terceiro capítulo com esse novo filme, não que os anteriores componham uma história que é fechada neste, mas há alguma ligação com alguns personagens aqui e acolá.

Interessante de se ver em Carga Explosiva 3 são as seqüências desmioladas de ação que não prezam por nenhum senso de veracidade ou autenticidade, é tudo uma grande salada que remonta a filmes como Triplo XXX, Adrenalina, Busca Explosiva, filmes de ação de segundo escalão. A grande pena em tudo isso é ver Jason sem embarcar num filme de ação realmente marcante, um pouco mais elaborado (como um 007 ou Missão Impossível).Qualidade para participar de um filme desse tipo é quase certo que ele tenha.

O filme tem uma história bem rasa (assim como os 2 primeiros) que serve apenas de pretexto para as coisas mais insanas que ocorrerão no decorrer da exibição. Um vilão (Robert Knepper) bem genérico quer se livrar de uma embarcação carregada de lixo tóxico e, para isso, pressiona um chefe de governo francês a liberar a entrada da embarcação no seu país. No início não fica evidente qual seria a arma que ele utiliza contra o chefe de governo, mas logo já dá para imaginar sem muito esforço do que se trata. Não adiantarei para manter um certo clima de expectativa.

A reputação de Frank é reconhecida e ele é o responsável por carregar o objeto dessa chantagem em segurança para que possa ser usado contra o Ministro. O Audi Rs4 da segunda versão do filme está presente também nesse e serve como boa propaganda da marca Audi. Não sabia Frank que teria que lidar com uma carona nessa aventura de entrega, misteriosa no começo do filme, a jovem Valentina (Natalya Rudakova) aos poucos vai se soltando (até demais) e começa a confiar em Frank. Para fazer esse serviço os capangas de Johnson (vilão) emboscam Frank e prendem nele um bracelete que o força a sempre estar a certa distância do carro para que se mantenha vivo (caso contrário o portador do bracelete explode, daí o título nacional).

O filme tem cenas de ação altamente manjadas e pouco inspiradas que se salvam um pouco pela boa mobilidade de Jason quando interpreta esse tipo de cena, além disso, são extremamente forçadas em todos os momentos chegando ao ponto do risível. Aparentemente há uma intencionalidade em fazer o filme ser dessa forma, as cenas não são mal feitas em si, ou seja, não se fez diferente, pois o mote do filme é ser um “genéricão” de ação mesmo, sem grandes pretensões, e remontar à filmes de ação do passado que faziam sucesso nos anos 80 e 90, mas que hoje não tem mais o mesmo apelo. Some-se à isso o fato da garota Valentina ser uma péssima atriz sem qualquer talento para interpretar, sendo apenas um rostinho “peculiar” para chamar atenção no filme. Insistiram demais em sua participação o que deteriorou sobremaneira a qualidade do filme.

É forçoso dizer que se trata de um filme descartável, mas é um filme fraco, pouco ambicioso e que traz uma simplicidade pouco criativa o que o torna medíocre (simplicidade não é sinônimo de ruindade quando bem aproveitada e ajustada no contexto), ainda sim é possível sim achar diversão em Carga Explosiva 3, seu ritmo intenso e até com certa continuidade não prejudica o desenrolar dos fatos e o filme apresenta bons momentos em certas tomadas. A carência de filmes de ação mais pirotécnicos e despretensiosos no mercado também ajuda a tirar um pouco da carga negativa do filme, no final do computo o resultado não é de todo desprezível para esse que talvez seja o último dessa série.

Intensidade da força: 5,0

Deixe seu comentário