Max Payne

Título Original- Max Payne
Título Nacional- Max Payne
Diretor- John Moore
Roteiro- Beau Thorne/Sam Lake
Gênero- Ação/Drama/Policial
Ano- 2008

– Dessa vez foi?

De certa maneira sim. O que se pode notar é que em Max Payne tentaram fazer um esforço em levar mais a sério o roteiro original do jogo, mas ainda assim existe um ranço descabido no mundo Hollywoodiano com relação a adaptação de jogos para a telona. Em Max Payne procuraram manter o “plot” original do game sem muitas alterações, diferentemente de outros títulos baseados em jogos como a trilogia Resident Evil que distorceu sem nenhum pudor o filme, mudando até personagens principais da trama, em Max Payne a história foi um pouco melhor.

O filme tenta captar a essência do jogo com aquele tom “noir” visto no game (o fato de estar sempre nevando)o que ajuda a dar um ar mais sóbrio e “dark” à história, e o figurino se esforça para se aproximar do jogo. Há pontos positivos em Max Payne em termos de adaptação de um jogo (algo nunca levado a sério por Hollywood antes, e que parece estar tomando rumos melhores). O problema que fica são as histórias que estão servindo de cobaia para esse trajeto (Max Payne, Silent Hill, Resident Evil, Quake, Dungeons Dragons…) são ótimos jogos que tem roteiros interessantes (exceto Quake) que poderiam dar bons filmes de ação, suspense, terror e aventura. Para os amantes de jogos ver tudo isso ser jogado no lixo com adaptações que nem podem ser dignas do título “caça-níquel” é triste e decepcionante.

O filme conta a história do policial Max que tem sua família brutalmente assassinada (a censura tirou o “brutal”) e parte em busca de vingança sendo que no meio desse caminho descobre que os motivos que levaram à morte de sua família são muito mais profundos do que ele imaginava. O filme tenta resgatar o aspecto investigativo do jogo, mas esquece da ação. Max Payne é um jogo que contém um balanço muito bem feito entre ação e trama coisa que não é transportada com a mesma eficiência para o filme, infelizmente. No filme a ação é reduzidíssima se tendo como foco apenas a “busca” de Max por pistas de quem teria sido responsável pela morte de sua família.

O personagem principal da trama (Max Payne) interpretado por Mark Wahlberg condiz com as características do jogo, bem como Mona Sax (Mila Kunis), mas pára por aí (talvez BB também) o policial Jim Bravura (Ludacris?) é uma das aberrações do filme tendo sua participação reduzidíssima na trama, servindo apenas como composição, coisa que não acontece no game. Sem falar em outras distorções da história que acabariam por fazer dessa pretensa análise uma esteio de críticas dando um tom negativo por demais ao filme.

Na verdade “Max Payne” é um bom filme policial e por pura burrice a Fox insistiu em usar o nome do jogo como alavanca para o filme. Há referências ao jogo sim, mas tudo isso poderia ser sutilmente alterado e ter se retirada a marca “Max Payne” e com certeza esse filme teria sido muito melhor recebido. A censura foi outro aspecto que arrasou o longa. Para quem não sabe Max Payne (jogo) é extremamente violento e com vários toques de suspense que foram completamente obturados nessa adaptação. Há cenas que ficaram ruins por conta disso, pois a edição foi pega de surpresa com a decisão de se tirar a violência do filme e não conseguiu “consertar” os momentos mais intensos das cenas. Resultado? Pior possível.

No final fica aquela ponta de decepção por terem utilizado um jogo fantástico, daqueles dignos de serem chamados de obras-primas (como o próprio Spielberg já mencionou), para um filme apenas mediano se for completamente ignorado o aspecto de ser basear noutra história. Se tomar esse aspecto com a devida relevância Max Payne seria um filme ruim-péssimo, colocando esse aspecto em segundo plano até que se pode extrair alguns aspectos positivos no longa; a trama do policial que tenta buscar vingança, enquanto luta contra todos inclusive colegas de trabalho, a traição de seu melhor amigo e por aí vai.

Não é um filme ruim de toda sorte, mas é uma adaptação fraca, ainda assim a melhor já feita em se tratando de jogos para filmes, mas longe de colocar essa mídia (jogos) no mesmo patamar que os quadrinhos estão. Resta aguardar o filme de Halo e World of Warcraft.

Intensidade da força: 6.0

Deixe seu comentário