A Múmia: Tumba do Imperador Dragão

Título Nacional- A Múmia: Tumba do Imperador Dragão
Título Original– The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor
Diretor- Rob Cohen
Roteiro- Alfred Gough/Miles Millar
Gênero- Ação/Aventura
Ano- 2008


– O primo pobre do Indiana Jones

Assim é a Múmia, assim é Brendan Fraser e a trupe que compõe o mais novo filme da série Múmia. Agora, com a participação de Jet Li como vilão do filme, tentou-se trazer novo fôlego ao título. Será que a tentativa deu certo? Em parte sim. A Múmia: Tumba do Imperador Dragão é um filme divertido no seu pacote final e tem boas cenas de ação. O filme conta com bons efeitos especiais e tem partes muito interessantes apresentadas durante a película, como a quando os Yetis surgem para lutar, as transformações da múmia Imperador Han (Jet Li), entre outras.

O filme começa com o personagem Rick O’Connell (Brendan Fraser) vivendo com sua esposa Evelyn (Maria Belo) distante das aventuras do passado (outros 2 filmes). Rick está um pouco enfadado daquela vida pacata, bem como sua esposa (que agora vende livros que contam as histórias de suas aventuras). Enquanto isso, seu filho Alex (Luke Ford) está para desenterrar os ossos do Imperador Han, sem imaginar o perigo que estará despertando. Os pais de Alex pensam que ele está na faculdade e não imaginam o que ele está aprontando.

O Imperador Han fora um grande ditador nos tempos passados na China, mas sua sede por poder o levou à queda, pois ao apelar para a ajuda de uma feiticeira, no intuito de conseguir o segredo para a vida eterna, ela lança uma maldição nele como punição por ter matado seu grande amor. Como se pode ver nessa breve descrição, o pano de fundo para o desenrolar dessa história é bem ralinho e pouco inspirado, na verdade um pretexto para poder trazer o filme de volta a vida. Não que se esperasse maiores rebusques na história da Múmia já se imaginando como tinham sido os 2 primeiros, mas bem que poderiam ter caprichado um pouquinho mais ao invés de terem repetido fórmulas mais que chatas de amor traído, homens ambiciosos e lacaios com desejos megalomaníacos e coisas do tipo.

Como aventura o filme cumpre bem seu papel. Tem cenas bem interessantes e bem articuladas, tudo é motivo para uma explosão ou uma luta, mas é isso que torna o filme vibrante durante quase todo o tempo. Realmente a queda se nota quando tentam dar mais profundidade à trama, colocando uma possível relação familiar conturbada entre Rick (pai) e Alex (filho), nem Brendan nem Luke Ford conseguem convencer nas cenas mais sérias do filme. De fato, o Brendan Fraser é um ator bem pastelão que dá certo mesmo fazendo cenas mais cômicas. Ele não possui qualquer talento para transmitir seriedade em qualquer momento.

O filme mostra que ainda precisa evoluir se quiser conseguir parte da boa fama que circunda Indiana Jones, mesmo com todos as brechas desse último Indiana a Múmia consegue ser ainda pior em se tratando de roteiro. Ao menos Indiana tem um pano de fundo um pouco menos piegas e bobo do que a Múmia. No que A Múmia se sobressai um pouco mais que Indiana são as cenas de ação. As de Indiana são melhor articuladas em execução, mas as de A Múmia passam um ar de grandiosidade maior do que as de Indiana. Infelizmente não temos muitas cenas criativas (labirintos com armadilhas e coisas do tipo), mas o próprio Indiana recente não teve muito disso, então não se pode culpar muito A Múmia que é um filme voltado mais para o lado da ação.

Num rápido balanço comparativo é possível se colocar “A Múmia” como um filme razoável no que se propõe a fazer (entreter com bastante ação), infelizmente o roteiro fraco e as atuações pífias de seus atores principais estragam o filme um pouco e também se fica com uma impressão de que Jet Li foi colocado ali mais como chamariz para o filme do que para realmente compor um bom personagem. Ele pouco aparece como pessoa, ficando mais tempo transformado em vários monstros ou como múmia do que outra coisa. Um filme que pode agradar aos que querem fugir da temática trivial de filmes de ação policiais, mas não espere uma grande produção.

Intensidade da Força: 5,5

Deixe seu comentário